Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Liga dos Campeões Europeus: Benfica vence Dínamo Kiev e iguala Nápoles na liderança do grupo B

O Benfica venceu nesta terça-feira o Dínamo Kiev no Estádio da Luz, por 1 a 0, e garantiu pelo menos a continuidade na Liga Europa em 2017. No entanto, o penálti marcado por Salvio e o defendido, depois, por Ederson Moraes permite desde já aos encarnados igualarem o Nápoles na liderança do grupo B, com sete pontos, mais um do que o Besiktas.

Durante a primeira parte escassearam as oportunidades de golo para as duas equipas. O Dínamo procurava evitar que o Benfica tivesse espaço para fazer as suas habituais combinações atacantes e, para isso, preenchia bem a zona central do terreno, tapando todos os caminhos para a sua baliza. Era pois preciso que os encarnados fossem pacientes. E foram.

Em largos períodos do jogo, o Benfica instalou-se no meio-campo adversário, trocando a bola, embora às vezes sem a rapidez que a organização ucraniana exigia. O guarda-redes Rudko evitou que aos 22 minutos surgisse o golo de Grimaldo, lance que marcou uma fase de intenso domínio benfiquista, interrompido por um lance de contra-ataque que Lindelöf, depois de complicar, acabou por resolver.

Por certo que Rui Vitória já pensava na melhor forma de desbloquear o jogo na segunda parte quando Luisão foi agarrado por Vida na área. Penálti indiscutível que Salvio se encarregou de transformar. O mais difícil estaria feito

Um dos grandes méritos do Benfica foi a enorme capacidade em pressionar os jogadores do Dínamo perto da sua área, o que dificultou bastante a construção de jogo dos ucranianos, que se viram muitas vezes obrigados a lançar a bola para o meio-campo encarnado sem grande critério e precisão.

Isso podia ter levado a equipa de Rui Vitória para um triunfo tranquilo na segunda parte, não fosse os seus jogadores terem estado tão perdulários, em especial Mitroglou.

Gonçalo Guedes esteve à beira de tranquilizar a Luz com um potente remate, mas este fez estremecer a barra… O Dínamo sentia mais dificuldades do que na primeira parte em criar situações perigosas junto da baliza de Ederson, devido à forma agressiva e determinada com que o Benfica defendia.

Os ucranianos rondavam a área, sem grande segurança no passe. E foi num desses lances de pressão benfiquista que Fejsa sofreu uma entrada dura de Rybalka… a Luz silenciou-se por momentos, afinal o sérvio tem sido a alma e o porto seguro desta equipa.

O médio acabou por sair de campo, devendo a lesão tirá-lo do clássico de domingo com o FC Porto. Foram dez minutos de sofrimento encarnado.

Primeiro com a lesão de Fejsa e depois porque Ederson derrubou Derlis González num lance aparentemente inofensivo. O árbitro mandou marcar penálti, o que aos 68 minutos colocava em sério risco o triunfo do Benfica.

Mas o brasileiro emendou o erro ao defender o remate de Júnior Moraes e a partir daí a equipa de Rui Vitória cerrou os dentes para defender a preciosa vantagem longe da sua baliza.

No final, suspirou-se de alívio: três pontos garantidos e o apuramento está agora bem vivo.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!