Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Justiça russa manda mais ativistas do Greenpeace para a prisão

O tribunal Leninski da cidade russa de Murmansk ditou neste domingo uma ordem de prisão preventiva por dois meses para outros quatro ativistas do quebra-gelos do Greenpeace Arctic Sunrise acusados de pirataria, entre eles uma finlandesa que pediu liberdade soba fiança por graves problemas de saúde.

Estes quatros sentenciados se juntam a outros 22 tripulantes que receberam a mesma pena provisória na última quinta-feira, do total de 30 pessoas acusadas de pirataria.

Devido à insuficiência de tradutores e juízes, o tribunal adiou até este domingo a audiência prévia dos casos oito ativistas. Agora resta definir a pena de outros quatro acusados.

A Justiça russa os acusa de um delito de pirataria após serem detidos há dez dias no mar de Pechora quando tentavam invadir a plataforma petrolífera Prirazlomnaya do gigante energético russo Gazprom.

Os ativistas detidos procedem de 19 países: Brasil, Rússia, Estados Unidos, Argentina, Reino Unido, Canadá, Itália, Ucrânia, Nova Zelândia, Holanda, Dinamarca, Austrália, República Tcheca, Polônia, Turquia, Dinamarca, Finlândia, Suécia e França.

Nesta semana o presidente russo, Vladimir Putin, reconheceu que os ativistas do Greenpeace não eram piratas, embora tenha assegurado que tinham infringido a lei e pedido que os ecologistas utilizem métodos civilizados para expressar suas reivindicações.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!