Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Jovem acusado de matar o pai em Maputo e irmãos assassinam idoso em Inhambane

Uma jovem de 23 anos de idade planeou e concretizou o assassinato do própria pai, de 47 anos de idade, há dias, no bairro de Cumbeza, província de Maputo, alegadamente devido a desinteligências resultantes da venda de terrenos. Em Massinga, província de Inhambane, dois irmãos agrediram fisicamente um idoso de 60 anos de idade, até à morte por suposta feitiçaria.

A indiciada cuja identidade não apurámos, foi detida mas supostamente escapou da custódia das autoridades policiais, no último fim-de-semana, em circunstâncias ainda não esclarecidas.

A vítima respondia pelo nome de Sérgio Nhaca. Segundo a família, a jovem vendeu os talhões do progenitor, algures na localidade de Macaneta, na província de Maputo.

Por conta desse negócio, que floresce como cogumelos em muitos pontos de Moçambique, enquanto as autoridades repetem que é proibido, a família do malogrado entrou em rota de colisão.

Dos parentes do finado, o @Verdade apurou que a acusada deliberou acabar com a vida do pai porque este exigiam, de forma relutante, que a filha fosse responsabilizada pelo seu alegado envolvimento na referida venda de terrenos sem a permissão dos mais velhos.

Como forma de se livrar do próprio pai, a jovem contactou alguns amigos, com os quais cometeu o crime de que é indiciado. De seguida, ela enterrou o corpo do progenitor nas proximidades do local onde trabalhava como cabeleira, no mesmo bairro. Consta que o talhão onde o cadáver foi enterrado pertence à avó da acusada de assassinato.

O crime foi denunciado por um dos supostos comparsas da jovem, após um desentendimento em relação ao pagamento após o assassinato.

Até ao fecho desta edição, a miúda estava em parte desconhecida depois de ter sido presa. Não se sabe ao certo como é que fugiu das mãos da Polícia.

No distrito de Massinga, dois irmãos espancaram um ancião até à morte, supostamente porque a vítima era feiticeira.

Dos visados, um é genro do finado e contou que sem compaixão ele e o comparsa aplicaram duros golpes à vítimas até perder a vida.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!