Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Japão tem acordo para coligacão de governo

O Partido Democrata do Japão (PDJ), vencedor nas recentes eleições legislativas, concluiu um acordo de coligacão governamental hoje, quarta-feira, com outros dois partidos e seu presidente, Yukio Hatoyama, deve ser nomeado o novo primeiro-ministro na próxima semana. “Finalmente chegamos a um acordo”, anunciou o número dois do PDJ, Katsuya Okada, ao fim de uma nova rodada de conversações entre seu movimento, o Partido Social Democrata e o Novo Partido do Povo (NPP).

As negociações começaram há uma semana, depois da ampla vitória do PDJ nas eleições legislativas sobre o Partido Liberal Democrata (PLD), que governou o país de forma quase ininterrupta durante 54 anos.

As conversações se prolongaram por divergências a respeito da presença militar dos Estados Unidos na ilha de Okinawa, sul do país. A ilha abriga mais da metade dos 47.000 soldados americanos destacados no Japão em virtude do tratado de segurança entre os dois países.

Segundo a imprensa, os partidos concordaram em propor uma revisão do estatuto das tropas americanas no Japão que, segundo o PSD, dá direitos extraterritoriais aos soldados. Um novo deslocamento foi negociado quando George W. Bush e o PLD estavam à frente dos respectivos governos.

O acordo prevê em particular a transferência de uma controversa base aérea situada em Futema, dde uma zona urbana densamente habitada de Okinawa para outro setor da ilha. A fórmula estabelecida pelos partidos no documento de compromisso retoma uma promessa de campanha do PDJ. Durante esta, Hatoyama se comprometeu a desenvolver uma política mais independente em relação a Washington, grande aliado de Tóquio. Para Hidekazu Kawai, professor de política na Universidade de Gakushuin de Tóquio, Hatoyama não quer abordar as questões sensíveis das relações entre Japão e Estados Unidos antes de uma reunião com o presidente americano Barack Obama.

Logo após o anúncio da vitória do PDJ, Washington advertiu que descartava qualquer renegociação sobre a presença militar. O PSD destacou que considera a questão de Okinawa prioritária. A população da ilha não aceita com satisfação a presença das tropas e uma série de abusos cometidos por soldados americanos provocou uma comoção ano passado. O PDJ, de centroesquerda, obteve maioria na Câmara dos Deputados, mas o partido precisa dos apoios do PDJ e do NPP para manter uma maioria estável no Senado.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!