Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Intermediação financeira avaliada em USD 17 milhões

Cerca de 17 milhões de dólares norte-americanos são gastos em operações de montagem de um sistema electrónico para permitir o pleno funcionamento da Sociedade Interbancária de Serviços, a partir do primeiro semestre de 2011.

Basicamente, o sistema em montagem garantirá prestação de serviços financeiros, através de ligações electrónicas via ATM e POS conectando os bancos a outros agentes prestadores de serviços financeiros nas zonas onde não há presença física de um banco, segundo Ernesto Gove, governador do Banco de Moçambique (BM), realçando que aquelas ligações irão concorrer para o aumento da intermediação financeira em Moçambique.

Gove explicou que a operacionalização da Sociedade Interbancária de Serviços vai permitir também que clientes de cada um dos bancos possam aceder às máquinas de outros bancos sem custos adicionais, “concorrendo, assim, para a redução dos custos de intermediação financeira no país”, para além do aumento do uso de meios alternativos de pagamento e facilitação do acesso aos serviços financeiros por parte dos agentes económicos.

Ajuntou que a intermediação financeira irá também melhorar as transacções comerciais, “uma das condições para a promoção do crescimento económico”, realçou o governador do BM, falando durante a Quinta Conferência Nacional de Microfinanças que se ocupou exclusivamente do tema “Com as Finanças Promovemos o Desenvolvimento do país”, promovida pelo Ministério da Administração Estatal.

No futuro, segundo ainda Gove, somente uma aplicação informática de contabilidade única e partilhada, “que salvaguarde os aspectos relativos ao sigilo de cada instituição”, com uma plataforma de contabilização única, permitirá economias de escala, o que concorrerá para a redução de custos, bem como de diversos riscos e para a credibilização dos operadores perante os seus clientes.

No entender igualmente do governador do banco central moçambicano, a reconstrução do sector financeiro abrangente e inclusivo pressupõe a sua modernização, aumento da eficiência e expansão de serviços financeiros a todo o país.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!