Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Inter e Barcelona são favoritos para conquistar lugar nas semifinais da Champions League

O Barcelona é o favorito na partida contra o Arsenal e o Inter de Milão visita o CSKA de Moscou em vantagem nos jogos da segunda mão desta terça-feira pelos quartos de final da Liga dos Campeões.

Barcelona e Arsenal vão enfrentar-se com muitas baixas na revanche da final de 2006, vencida pela equipe catalã. O equipe azul-grená, atual campeã europeia, não poderá contar com seus defesas titulares, já que Gerard Piqué e Carles Puyol estão suspensos, depois de terem recebido um cartão amarelo e outro vermelho, respectivamente.

Josep Guardiola também não poderá contar com seu atacante sueco Zlatan Ibrahimovic, que contundiu-seno sábado durante um treino. Com isso, o francês Thierry Henry terá mais uma oportunidade de calar os seus críticos.

Mas os Gunners de Arsène Wenger, treinador que perdeu três finais europeias (Recopa em 1992 com o Mônaco, Copa da UEFA em 2000 e Liga dos Campeões em 2006 com o Arsenal), não estão mais tranquilos. A equipe londrina não terá três jogadores importantes: o capitão Cesc Fábregas, o comandante da defesa William Gallas e o atacante Andrei Arshavin, todos contundidos.

O francês Samir Nasri terá uma chance em sua posição favorita, no centro do ataque, onde foi fundamental na classificação de sua equipe contra o Porto nos oitavos. O técnico francês dos ingleses previu que a partida contra o Barcelona será decidida “no meio de campo”. “A batalha será decidida no meio de campo”, afirmou Wenger em uma entrevista coletiva à imprensa.

“Se você não tem a bola é difícil vencer, ainda mais num estádio como o Camp Nou. É preciso tentar encurtar o campo e roubar a bola, que foi o que não fizemos na semana passada”, afirmou o técnico do Arsenal. “Não somos uma equipe que se rende. Mostramos isso durante todo o ano. Temos uma grande força mental e isso me dá muita confiança para a partida de amanhã. Podemos aproveitar nossa chance e fazer história”, lançou Wenger.

O treinador do Barcelona, “Pep” Guardiola, seguiu a mesma linha de raciocínio de Wenger. “A equipe que mantiver a posse de bola ganhará”, afirmou o técnico catalão em sua entrevista coletiva à imprensa. “A partida exige uma concentração absoluta (…) Vimos isso na partida da primeira mão. São duas equipes que gostam de manter a posse de bola. Quem ficar com ela terá mais chances de vencer a partida”, frisou Guardiola.

Na outra partida, o CSKA está disposto a derrubar o Inter, já que o treinador dos russos, Leoni Slutsky, disse que seus jogadores utilizarão um estilo agressivo no campo de jogo frente aos “nerazzurri”. “Não temos outra opção a não ser ganhar a próxima partida”, disse Slutsky na coletiva de imprensa anterior ao jogo. “Devemos jogar com um estilo muito mais agressivo (em comparação com o jogo de ida)”, disse o técnico.

O treinador acrescentou que acredita que a grama sintética do estádio Luzhniki de Moscou não terá uma grande influência no desenvolvimento do jogo. “Considero que a grama sintética não produz nenhum efeito especial sobre o desenvolvimento do jogo. Vi muitas partidas neste estádio, e nunca tive a sensação de que o campo afetou alguma coisa. Nem com o CSKA, nem nas partidas de qualquer outro time”, enfatizou.

Já o clube italiano tem a Liga dos Campeões como grande prioridade, uma competição que não vence desde a longínqua temporada de 1965. O treinador português do clube lombardo, José Mourinho, prega cautela. “Esperamos que o CSKA jogue para tentar mudar a situação. Eles ainda têm chances (de se classificar). Na Itália, perderam por apenas um golo de diferença. Temos que optar entre jogar um futebol com estilo defensivo para manter nossa defesa invicta ou jogar de forma agressiva em busca de uma vitória”, ressaltou.

O Inter, que tem a vantagem de não ter sofrido nenhum golo da partida de ida, tem melhores nomes em cada posição: Diego Milito e Samuel Eto´o contra Tomas Necid e Alan Dzagoev no ataque, Wesley Sneijer e Dejan Stankovic contra Keisuke Honda e Elvir Rahimic no meio-campo, além dos brasileiros Maicon e Lucio como zagueiros, contra os gêmeos Berezutski do lado russo.

Mas a equipe de Moscou só tem um golo de desvantagem e tentará aproveitar a ocasião para se tornar o primeiro clube russo nas semifinais da Liga dos Campeões desde o Spartak de Moscou em 1990.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!