Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Incêndios contra cajueiros resultam em 48 milhões de meticais de prejuízos

Cerca de 48 milhões de meticais constituem o resultado de prejuízos causados por queimadas descontroladas contra cerca de quatro mil toneladas de cajueiros, ocorridas entre 2007 e 2010, em Moçambique.

 

 

A devastação está ligada à crescente procura de combustível lenhoso, de ratazanas e a prática de agricutura itinerante, segundo o Instituto de Fomento de Caju (INCAJU), realçando que “aquelas práticas estão a acarretar enormes perdas da biodiversidade e danos materiais”.

Importa referir que em diversas regiões de Moçambique assiste-se a um permanente conflito entre gatos e seres humanos, que disputam ratazanas para consumo, os felinos pela simples subsistência e os Homens porque acreditam que a carne dos roedores é rica em proteínas.

Entretanto, num esforço visando uma rápida reposição das áreas destruídas, o Governo moçambicano deverá importar, proximamente, plantas melhoradas a partir de material genético do Brasil e Tanzânia que são mais resistentes a pragas, doença do oídio e “não prejudiciais à saúde pública e ao Ambiente”, enfatiza o INCAJU .

A experiência deverá ser feita numa área de 24 hectares, em Nampula, segundo a fonte, realçando que a área já está preparada para o cruzamento do cajueiro comum com o clone de um cajueiro anão-precoce.

Estas informações foram dadas a conhecer semana passada, em Maputo, durante os trabalhos do Quinto Fórum Nacional do sector do Caju.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!