Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Ilha de Moçambique já tem “dança móvel”

A Embaixada dos Estados Unidos da América em coordenação com o Conselho Municipal da Ilha de Moçambique e Mahla Films acabam de lançar um truque de dança móvel denominado “Algo vai chegar” inspirado nos filmes West Side Story, Romeu & Julieta e Histórias Africanas.

O evento de lançamento contou com a participação de dez bailarinos moçambicanos com destaque para Elísio Chindia, José Zanlia, Eurico Moiane, Cheto Binda, José Santana, Américo Siweia, Elisangela Rodrigues da Silva, Rosa Mario, Kátia Manjate, Marla Langa, Lucília Rodrigues e Calisto Manhique e cinco artistas americanos, dentre os quais Steve Zegree (Pianista), Jennifer Goode Cooper (Soprano), Sean Cooper (Barítono), Tim Froncek (Bateria) e Hayato Ishibashi (Violino).

O embaixador dos Estados Unidos da América em Moçambique, Douglas Griffiths, orientou a abertura do evento que teve a duração de dois dias naquela região costeira da província de Nampula.

A dança de que nos referimos foi apresentada pela primeira vez em Moçambique, no ano passado, no cinema Gil Vicente, em Maputo, e pela segunda vez na capital do norte. O evento é dirigido por Moira Forjaz.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!