Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Guerra em Moçambique: autocarro com passageiros atacado na EN1 a caminho de Muxúnguè

Cidadã morre num ataque em Muxúngue e deixa bebé de dois meses

Um autocarro com 20 passageiros foi alvo de um ataque armado no princípio da tarde desta segunda-feira na Estrada Nacional Nº1 (EN1), no troço entre o rio Save e o Posto Administrativo de Muxúnguè, no distrito de Chibabava, na província central de Sofala. Há registo de pelo menos cinco feridos ligeiros em consequência do estilhaço de vidros e paragem brusca do autocarro que fazia o transporte de passageiro entre a capital de Moçambique a cidade da Beira. Ainda nesta segunda-feira a primeira coluna que partiu de Muxúnguè para o Sul do país também foi atacada.

De acordo com o motorista do autocarro da empresa LTM o ataque aconteceu depois de partirem do Save cerca de 20 quilómetros depois de passarem por uma ponte metálica existente nesta única estrada que liga o Sul ao Centro e Norte de Moçambique. “Eu não estava a seguir o carro dos militares, o BTR que nos escolta, pois o segredo é ficar longe do militares mas de repente comecei a sentir os vidros a estilhaçarem-se. Os passageiros entraram em pânico, tive dificuldade em controlar o carro mas consegui manter o carro direito e continuamos viagem”.

Segundo a testemunha, durante o ataque que durou cerca de cinco minutos, não houve nenhuma protecção militar apesar de ter tentado alertar a restante coluna de mais de três centenas de viaturas, tocando a buzina e fazendo sinal de luzes.

A fonte crê que os atacantes, que não conseguiu vislumbrar, deveriam estar nas árvores pois visaram a parte lateral superior de todos os vidros do autocarro.

Depois do ataque a viagem seguiu sem sobressaltos até Muxúnguè onde foi comunicar a ocorrência ao comandante que encaminhou os feridos para receberem tratamento médico no hospital rural.

Este jovem de 34 anos de idade é um dos milhares de moçambicanos que todos os dias precisa de continuar a cruzar este troço, chamado da guerra, pois é de onde tira o sustento da sua família. “A família toda já rejeitou e disse que eu tinha que parar mas é daqui que eu alimento os meus filhos, não tem como, estou a procura do pão para as crianças” concluiu.

Cidadão chinês ferido em ataque

Também nesta segunda-feira, cerca das 8 horas, a primeira coluna de viaturas que partiu do Posto Administrativo de Muxúnguè em direcção ao Sul de Moçambique, pela EN1, sofreu um ataque armado na região de Mutocothe. Neste ataque um cidadão de nacionalidade chinesa, que conduzia um camião que transportava madeira, ficou ferido no tiroteio.

Entretanto as parte envolvidas no conflito, o Governo e a Renamo, continuam desavindas e sem encontrarem uma solução negociada para que a Paz regresse a Moçambique.

 

*Fotos CIDADÃO REPÓRTER

 

CONFIRA OS INCIDENTES QUE TEMOS REGISTADOS DESDE O REINÍCIO DA GUERRA EM MOÇAMBIQUE

{jumi [*35]}

 

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!