Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Guebuza no Fórum Económico Mundial

O Presidente moçambicano, Armando Guebuza, participa a partir da próxima Quarta-feira, na Cidade sul-africana do Cabo, no Fórum Económico Mundial sobre a África (FEM). Este evento, de dois dias e que também deverá contar com a presença de outros estadistas do continente, decorrerá sob o lema “De Visão à Acção: O Próximo Capítulo de África”.

Um comunicado do FEM refere que “a África tem demonstrado uma maior perseverança na actual crise económica mundial, e continua a ser uma das regiões com o crescimento mais rápido do mundo”. O FEM prossegue explicando que “a melhoria da estabilidade política e macroeconómica”, acrescida ao compromisso de investimento do sector privado “estão por detrás desta tendência”.

Contudo, o FEM reconhece que isso não conduz automaticamente ao desenvolvimento, porque “a tradução desse crescimento num desenvolvimento sustentado e inclusivo é complexo”. Por isso, o FEM explica que esse crescimento vai depender da “capacidade e vontade política para direccionar as receitas da cobrança de impostos, lucros e fundos dos doadores em investimentos na área de infraestruturas que tanto fazem falta”, bem como a introdução de mais melhorias nos serviços de saúde e educação.

Outro factor determinante, segundo o FEM “serão as parcerias inovadoras entre o empresariado e a sociedade civil, bem como o empoderamento das pequenas e médias empresas que continuam a ser os maiores geradores de renda no continente”. Outro desafio, e’ a “exposição de África aos riscos globais, tais como a prolongada instabilidade financeira mundial, a instabilidade de matérias-primas e as mudanças climáticas”.

Durante o evento, os participantes vão ainda tentar encontrar respostas para questões tais como “Como e’ que África poderá assumir um papel de liderança e proteger-se contra os riscos políticos e globais emergentes”, e como o continente poderá atrair mais investimentos para sustentar o seu crescimento. O FEM questiona ainda “como e’ que o crescimento inclusivo poderá ser estimulado através de parcerias e promoção das pequenas e medias empresas de África”.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!