Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Guebuza determinou investigação do atraso na fixação das pensões dos combatentes em Cabo Delgado

No término da presidência aberta e inclusiva realizada na província de Cabo Delgado, entre 4 a 8 de Junho em curso, em que escalou sucessivamente os postos administrativos de Bilibiza, no distrito de Quissanga, Diaca, em Mocimboa da Praia, Ocua, em Chiure, e Machoca (Namuno), onde, para além de participar no plantio de árvores, visitar florestas comunitárias, orientar encontros com os governo provincial, distritais e ao nível das sec retar ias dos post os administrativos, o Presidente Armando Guebuza reuniu com as populações para auscultação das respectivas preocupações e esclarecimento de algumas questões que lhe foram colocadas.

A população do posto administrativo de Diaca manifestou o seu agrado face aos avanços que se registaram nas áreas de electrificação rural, tendo enaltecido a chegada de energia eléctrica de Cahora Bassa e expansão da rede sanitária.

E destacou, igualmente, o aumento assinalável que os níveis de produção agrícola registaram mercê dos Fundos de Desenvolvimento Distrital, (FDD), facto que representa o fim das bolsas de fome.

Entretanto, entre as dificuldades que enfrentam, foi referida a degradação das vias de acesso, escassez de fontes de água, cadeia de intervenientes na comercialização dos excedentes agrícolas.

Por seu turno, os combatentes da luta de libertação nacional do distrito de Mocómboa da Praia, representados por Cristóvão Suala, viajaram propositadamente da sede do distrito àquele posto administrativo para denunciar ao Chefe do Estado que a fixação de pensões de reformas apenas priorizava os veteranos de Muidumbe, Nangade e Mueda, e, em consequência, eles continuavam marginalizados no processo.

Relativamente à preocupação apresentada, Guebuza esclareceu que o referido atraso na fixação de pensões, não só envolvia os combatentes residentes em Mocimboa da Praia pois que também abrangia os de outros pontos da província de Cabo Delgado onde escalou.

Afirmou que não tem explicação plausível e que irá intervir no assunto para descobrir o que está realmente a acontecer.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!