Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Grande Prémio da Alemanha: Hamilton vence corrida renhida

Há muito que não se viam três pilotos a lutar pela vitória até às derradeiras voltas da corrida desta forma, como neste Grande Prémio da Alemanha, em Nurburgring. O jogo do gato e do rato que tiveram durante toda a corrida Lewis Hamilton, Fernando Alonso e Mark Webber, levou a que o trio deixasse para as últimas voltas a derradeira paragem nas boxes para colocarem os obrigatórios pneus de mistura média.

Com a chuva que caiu pela manhã em Nürburgring, a apenas alguns segundos da largada, poucas equipes haviam decidido quais pneus usar na saída. Com a pista seca, no entanto, a maioria escolheu pneus macios para a corrida. A largada foi movimentada.

Surpresa do treino classificatório de sábado, Lewis Hamilton aproveitou a saída má de Mark Webber e tomou a liderança antes da primeira curva. Fernando Alonso também forçou passagem e ficou com a terceira posição, que era de Sebastian Vettel. Felipe Massa tentou ganhar posições por fora, mas foi prejudicado por uma travada do alemão e acabou sendo superado por Nico Rosberg, da Mercedes.

Lá atrás, Schumacher ganhou duas posições e saltou de décimo para oitavo. Rubens Barrichello aproveitou-se de um toque de Paul di Resta em Nick Heidfeld na curva três para ganhar três posições e ficar em 11º. Logo na segunda volta, Alonso errou na travagem, escapou e voltou a perder a terceira posição para Vettel. Não por muito tempo.

Na nona volta, foi a vez do líder do campeonato perder o controle da travagem na relva e ser superado pelo espanhol. Naquele momento, das boxes, Felipe Massa recebia a ordem de partir para cima de Rosberg: “Você tem de ultrapassá-lo agora”. O brasileiro, no entanto, só conseguiu superar o piloto da Mercedes na 12ª volta, depois de forçar a barra e chegar a tocar no rival.

Hamilton erra, é ultrapassado, mas retoma a liderança

Nick Heidfeld foi o primeiro a deixar a corrida. Depois de tentar a ultrapassagem por fora, o alemão não encontrou espaço, tocou no carro de Sebastien Buemi e saiu do chão. Na luta pela liderança, Hamilton errou na travagem na chicane e viu Webber retomar a liderança. Não por muito tempo. O inglês ditou o ritmo e passou pela direita, assumindo novamente a ponta.

O primeiro a ir para os boxes foi Mark Webber. Com o bom trabalho da RBR, o australiano voltou em sexto, em boas condições de lutar pela liderança. Felipe Massa chegou a liderar antes de fazer a sua paragem nas boxes, a mais rápida do pelotão da frente. No retorno à pista, o brasileiro conseguiu se posicionar à frente de Vettel, apesar da pressão do alemão.

Na 18ª volta, Barrichello, com um vazamento de óleo no motor do seu Williams, precisou abandonar a prova, após ordens da equipe. Pouco depois, Schumacher repetiu Vettel, derrapou na relva e rodou. O alemão, no entanto, conseguiu recuperar-se e voltou à corrida.

Na frente, Webber seguia na liderança, à frente de Hamilton e Alonso. Massa, em quarto lugar, aparecia distante do trio, enquanto Vettel lidava com problemas de aquecimento no pneu e defeito no travão e não conseguia acompanhar o ritmo.

Alonso assume a liderança, mas Hamilton recupera

Na metade da prova, Mark Webber foi pela segunda vez aos boxes. A RBR demorou um pouco mais, e o australiano acabou perdendo a liderança para Hamilton, que também fez a sua segunda paragem. Num duelo sensacional, Alonso chegou a assumir a liderança depois de voltar das boxes, mas, com os pneus frios, não resistiu à pressão do inglês e foi ultrapassado.

Na 36ª volta, Jenson Button, que acabara de ultrapassar Rosberg na briga pela sexta posição, abandonou a corrida por problemas hidráulicos no seu McLaren. Em quinto, Vettel fez a sua segunda paragem, antes de Massa, que permaneceu na pista. A mais de 16s do trio da dianteira, o brasileiro apenas torcia por um erro dos rivais. Na segunda parada, no entanto, a Ferrari demorou, e Vettel diminuiu a diferença para Massa. O líder do campeonato, então, passou a pressionar o brasileiro, que, mesmo com os pneus frios, conseguiu segurar a quarta posição.

Das boxes, os engenheiros da McLaren pediam para Hamilton tentar manter os pneus médios até o limite, já que, com eles, o inglês conseguia ter um ritmo melhor que os rivais, com compostos duros. A disputa pela liderança ganhou mais emoção a oito voltas do término. Hamilton seguiu para as boxes e foi o primeiro a usar pneus duros. Alonso, então, retomou a dianteira e a corrida ficou aberta. O espanhol conseguiu segurar até a 54ª volta e também foi para as boxes. No retorno, no entanto, Hamilton foi mais rápido e conseguiu recuperar a liderança. Para não sair mais.

Na última volta, porém, um novo toque de emoção. Na briga pelo quarto lugar, Felipe Massa e Sebastian Vettel deixaram a troca obrigatória por pneus duros para o último momento. Os dois foram juntos para as boxes, mas o alemão levou a melhor. Mais lenta, a Ferrari acabou prejudicando o brasileiro, que viu o líder do Mundial vencer a disputa na reta final e cruzar a linha de chegada em quarto.

Confira a classificação final do GP da Alemanha:

1 – Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) – 60 voltas em 1h37m30s334

2 – Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – a 3s980

3 – Mark Webber (AUS/RBR-Renault) – a 9s788

4 – Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) – a 47s921

5 – Felipe Massa (BRA/Ferrari) – a 52s252

6 – Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) – a 1m26s208

7 – Nico Rosberg (ALE/Mercedes) – a 1 volta

8 – Michael Schumacher (ALE/Mercedes) – a 1 volta

9 – Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari) – a 1 volta

10 – Vitaly Petrov (RUS/Renault-Lotus) – a 1 volta

11 – Sergio Pérez (MEX/Sauber-Ferrari) – a 1 volta

12 – Jaime Alguersuari (ESP/STR-Ferrari) – a 1 volta

13 – Paul Di Resta (ESC/Force India-Mercedes) – a 1 volta

14 – Pastor Maldonado (VEN/Williams-Cosworth) – a 1 volta

15 – Sebastien Buemi (SUI/STR-Ferrari) – a 1 volta

16 – Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Renault) – a 2 voltas

17 – Timo Glock (ALE/MVR-Cosworth) – a 3 voltas

18 – Jerome D’Ambrosio (BEL/MVR-Cosworth) – a 3 voltas

19 – Daniel Ricciardo (AUS/Hispania-Cosworth) – a 3 voltas

20 – Karun Chandhok (IND/Lotus-Renault) – a 4 voltas

Não completaram: Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania-Cosworth) – a 23 voltas/mecânico Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) – a 25 voltas/hidráulico Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth) – 44 voltas/motor Nick Heidfeld (ALE/Renault-Lotus) – a 51 voltas/acidente

 

A classificação no Mundial de Pilotos está assim ordenada:

1. Vettel 216

2. Webber 139

3. Hamilton 134

4. Alonso 130

5. Button 109

6. Massa 62

7. Rosberg 46

8. Heidfeld 34

9. Schumacher 32

10. Petrov 32

11. Kobayashi 27

12. Sutil 18

13. Alguersuari 9

14. Perez 8

15. Buemi 8

16. Barrichello 4

17. Di Resta 2


No Mundial de construtores esta é a classificação:

1. Red Bull-Renault 355

2. McLaren-Mercedes 243

3. Ferrari 192

4. Mercedes 78

5. Renault 66

6. Sauber-Ferrari 35

7. Force India-Mercedes 20

8. Toro Rosso-Ferrari 17

9. Williams-Cosworth

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!