Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Grã-Bretanha tem o maior número de desempregados em 12 anos

O número de pessoas desempregadas na Grã-Bretanha superava no trimestre concluído em janeiro a marca de dois milhões, pela primeira vez em 12 anos, segundo dados oficiais divulgados nesta quarta-feira.

O índice de desemprego era na ocasião de 6,5% da população ativa, o que também representa um recorde desde 1997, de acordo com o Escritório Nacional de Estatísticas.

“O índice de desemprego era de 6,5% no trimestre concluído em janeiro de 2009, uma alta de 0,5% em relação ao trimestre anterior e de 1,3% em ritmo anual”, afirma um comunicado oficial.

Esta cifra inclui tanto os cidadãos que se beneficiam do seguro desemprego como os que não. “O número de desempregados aumentou 165.000 na comparação trimestral e em 421.000 em ritmo anual, para alcançar 2,03 milhões.

O nível e o índice de desemprego são os maiores desde 1997″, completa o texto. Por outro lado, o número de pessoas inscritas nas listas de desemprego aumentou em 138.400 pessoas em fevereiro em relação a janeiro, a maior alta desde a criação dessa estatística, em 1971. Supera em muito o dado de 82.300 antecipado pelos economistas.

No total, 1,39 milhão de pessoas figuravam como desempregados em fevereiro, uma alta de 4,3% frente a uma de 3,9% em janeiro. As vagas de emprego totalizaram, entre dezembro e fevereiro, 482.000, uma queda de 74.000 postos e o nível mais baixo também desde a criação desse índice, em 2001.

As más notícias coincidem com uma informação publicada nesta quarta por vários jornais britânicos, segundo a qual o Fundo Monetário Internacional (FMI) se mostra disposto a abaixar sua previsão de crescimento para a Grã-Bretanha, com uma contração de 3,8% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2009 e de 0,2% em 2010 (frente a -2,8% e +0,2% prognosticados no fim de janeiro).

Se confirmada, esta contração fará da Grã-Bretanha o país desenvolvido mais afetado pela crise.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!