Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Governo tenciona abrir banco em Ressano Garcia para mineiros

O Governo moçambicano tenciona abrir uma agência de um banco comercial em Ressano Garcia, junto a fronteira entre Moçambique e a África do Sul, e que terá como principal objectivo atender a preocupação dos mineiros moçambicanos que trabalham neste país vizinho, anunciou segunda-feira, em Pretória, a Ministra do Trabalho, Helena Taipo.

Taipo, que falava durante um encontro com o Embaixador moçambicano na África do Sul, Fernando Fazenda, disse que outras iniciativas do Executivo incluem a aquisição de quatro autocarros para o transporte de mineiros durante as épocas festivas, a criação de uma agência funerária, entre outras. Justificando a abertura de uma agência bancária em Ressano Garcia, Taipo explicou que essa decisão surge na sequência de uma visita de uma delegação de Ministério do Trabalho (MITRAB), à província de Gaza, Sul de Moçambique.

“Quando nós visitamos a província de Gaza, não foi necessário que os mineiros nos dissessem que tinham problemas, pois notamos o mau atendimento nos balcões da TEBA, tendo observado que eles recebem avultadas somas de dinheiro em mão, sem nenhuma protecção e sem a presença de uma força de segurança especializada na matéria”, disse a Ministra.

“Isso significa que os trabalhadores quando vão receber os seus salários ou pensões recebem-no num clima de insegurança”, frisou. Taipo afirmou que o Governo também tenciona criar uma agência funerária devido aos elevados custos suportados pelo Executivo para a transladação dos corpos dos mineiros em caso de morte. “Em caso de morte nestas terras torna-se num problema oneroso para o nosso Governo transportar os corpos para Moçambique”, disse a Ministra. Assim, como forma de mitigar os custos, o Governo moçambicano vai rubricar acordos com alguns bancos para facilitarem o transporte em casos desta natureza. Com relação aos quatro autocarros que o Governo tenciona adquirir, Taipo disse que o transporte é uma questão preocupante para os mineiros nas épocas festivas.

“Sabemos que, geralmente, os mineiros sempre se deslocam a Moçambique para passar três a quatro dias. A nossa intenção é garantir que os mineiros tenham transporte da África do Sul para Moçambique e vice-versa”, explicou. Sobre os objectivos da sua visita de seis dias a África do Sul, iniciada segunda-feira, a titular do pelouro do trabalho disse que a mesma visa avaliar o desempenho dos moçambicanos que se encontram a trabalhar neste país. Moçambique possui uma força laboral considerável a trabalhar nas terras do Rand. Assim sendo, segundo a Ministra, é obrigação do Governo moçambicano inteirar-se das actividades por eles desempenhadas, seu comportamento e também como estão sendo tratados.

Contudo, a Ministra adverte que não traz soluções mágicas, pois a sua missão é avaliar a situação no terreno. Para o efeito, Helena Taipo tem agendado encontros com trabalhadores moçambicanos empregados em algumas farmas e minas, para se inteirar dos problemas que enfrentam, bem como para que sintam que continuam a ser amparados pelo seu Governo de Moçambique.

Ainda na África do Sul, a Ministra deverá reunir-se com a TEBA, companhia sul-africana de recrutamento de trabalhadores mineiros na região da Africa Austral, incluindo Moçambique, para discutir vários assuntos, entre os quais se destaca o acordo de 1964. “Os nossos mineiros, segundo o acordo de 1964, deixaram de usufruir de alguns direitos que achamos que deveriam ser respeitados enquanto o mesmo não for revogado”, disse Taipo.

Na sua visita a África do Sul, a Ministra do Trabalho faz-se acompanhar pelo delegado do MITRAB na África do Sul, Elias Nhambe; Rogéria Muianga, directora geral do Instituto Nacional de Segurança Social (INSS); director geral do Centro de Emprego e Formação profissional, Emídio Mavila; director do Trabalho Migratório, Boaventura Manhique; delegado de emprego e formação profissional da província sulista de Inhambane, Abdul Carimo; director provincial de emprego e formação profissional de Gaza, Graça Mula, entre outros quadros seniores do Ministério do Trabalho.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!