Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Governo reitera massificação do desporto

O governo moçambicano pretende, nos próximos anos, massificar iniciativas conducentes ao fomento e desenvolvimento da cultura física e do desporto em geral. Para o efeito, o Conselho de Ministros, reuniu-se terça-feira, em Maputo, na terceira sessão ordinária, apreciou e aprovou o decreto que cria o Instituto Nacional do Desporto (INADE), que vai implementar as políticas e programas e outras iniciativas na área do desporto. 

Alberto Nkutumula, porta-voz do governo, afirmou que o INADE reforçará a interacção entre o Executivo moçambicano as diversas instituições juvenis desportivas, permitindo uma maior participação das várias actividades visando massificar o desporto.

“O Ministério desenha as políticas e o instituto implementa”, disse Nkutumula, apontando que o mesmo servirá de elo de ligação entre o governo e as instituições juvenis e desportivas. Refira-se que o governo moçambicano decidiu, em 2009, massificar o desporto, começando por operacionalizar a fábrica de bolas para as modalidades de futebol de onze e de cinco, basquetebol, voleibol e andebol, já instalada na cidade Maputo.

O governo pretende, com a instalação, concretizar dois grandes objectivos, nomeadamente a massificação desportiva, alargando a base de praticantes nas cinco modalidades envolvidas e a criação de emprego e autoemprego para jovens.

A criação do INADE acontece numa altura em que cresce a necessidade de fortificar a prática do desporto a vários níveis desde as camadas inferiores, para que os escalões mais altos possam ser mais robustos e sustentáveis. No desporto rei, por exemplo, a Federação Moçambicana de Futebol (FMF) conta com um secretário técnico para a área de prospecção e formação de novos talentos para a modalidade.

Trata-se de Tovsten Spittler, de nacionalidade alemã, que vai trabalhar em Moçambique na formação de talentos nas camadas inferiores a partir do torneio infanto-juvenil, BEBEC, até ao escalão sub 17, para garantir maior sustentabilidade aos níveis seniores do futebol moçambicano.

A vinda de Spittler ao país é fruto do acordo rubricado há quatro anos entre a Federação Alemã de Futebol e a FMF, na altura presidida por Mário Coluna, para ajudar nas camadas de formação de talentos que vão garantir uma maior robustez ao futebol, pelo menos a nível das selecções.

O novo timoneiro vai trabalhar igualmente com o FUT21 na elaboração de um programa a longo prazo de integração dos novos talentos nas camadas seniores, para garantir que o futebol moçambicano tenha uma maior sintonia com os escalões inferiores.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!