Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Governo de Maputo aloca viaturas às direcções distritais da Educação

As direcções distritais da Educação da capital do país, nomeadamente dos distritos municipais de KaMaxaquene, KaMavota, KaMpfumo, KaChamanculo, KaMubukwane e a Direcção da Educação da Cidade, receberam, nesta sexta-feira (27), do Governo Central, através do Ministério da Educação, uma viatura cada com vista a melhorar o seu desempenho, principalmente o contacto entre as escolas e a fiscalização das actividades por elas desenvolvidas.

Esta iniciativa acontece em todo o país e, desta vez, os distritos de KaNhaca e KaTembe não foram abrangidos porque já foram contemplados no passado. Para a governadora da cidade de Maputo, Lucília Hama, a quem coube a tarefa de entregar as chaves dos seis meios circulantes, a expectativa é que os mesmos possam facilitar cada vez mais o trabalho das direcções distritais da Educação no contacto com as escolas e fiscalização das suas actividades, pois, antes de receberem os carros, os directores e outros funcionários dos sectores beneficiários deslocavam-se de transporte semi-colectivo de passageiros, vulgo “Chapa 100”, e nalguns casos usando veículos pessoais, o que, de certa forma, comprometia a execução do seu trabalho.

De acordo com a governadora, o grande desafio, neste momento, é o sector da educação melhorar a qualidade de ensino. E com as viaturas disponibilizadas pelo Governo os distritos poderão fazer melhor planificação das suas actividades com vista ao alcance desse desiderato.

O director do Distrito Municipal KaMavota, Filipe Naftal, disse ao @Verdade que a distância que separa as 54 escolas que se encontra naquela circunscrição não lhe permitia o exercício pleno da sua actividade. Contudo, com a viatura ora oferecida entende que o contacto com as escolas será facilitado.

Por sua vez, a directora da Educação do Distrito Municipal KaMaxaquene, Ivone Tivane, confirma as dificuldades que eram enfrentadas no exercício da fiscalização das actividades escolares nos distritos.

“Era difícil fazer o acompanhamento das actividades em todas as escolas porque o distrito é grande, tem muitas escolas públicas e privadas e não é fácil deslocar-se a pé de uma escola para outra.”

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!