Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Gana 2 – EUA 1, a esperança africana mantém-se

Gana 2 - EUA 1

O stock de feitos dramáticos dos Estados Unidos esgotou, depois de conseguirem a classificação para os oitavos de final no último minuto do último jogo do seu Grupo, os norte-americanos acabaram eliminados pelo Gana, este sábado, em Rustemburgo, no prolongamento, que continua a carregar nas costas toda a esperança do continente em ter um representante na final.

O Gana fez um golo logo nos primeiros minutos mas acabou perdendo o controle do jogo e os norte americanos conseguiram empatar o jogo e levar a decisão para o prolongamento, o primeiro do torneio. Com mais fôlego, e com um avançado letal, os ganenses levaram a melhor e venceram o jogo, este foi o segundo triunfo seguido, em dois jogos do Mundial, do selecionado ganês sobre a equipe norte americana.

O vigoroso Kevin-Prince Boateng foi quem abriu o placar, aproveitando-se de um erro do médio Ricardo Clark, o jogador do Hamburgo atrapalhou-se ao tentar uma finta no círculo central e foi desarmado, permitindo um contra ataque dos africanos. Prince foi lançado pela direita e partiu rápido e forte, na área fletiu para a esquerda e rematou de primeira, rasteiro, num remate seco, sem chances para Tim Howard.

A partir daí, porém, a partida passou para os pés dos Estados Unidos. Bradley sacou Clark ainda na etapa inicial, ganhou mais consistência no meio e começou a reter mais a bola em seus pés, em mais uma boa participação do seu filho, Michael, e do astro da seleção, Landon Donovan. Os norte-americanos exploraram o ataque tanto pelas laterais, para aproveitarem o seu perigoso jogo aéreo, como pelo centro, com tabelas envolvendo o grande Jozy Altidore, Donovan e o médio Clint Dempsey.

A primeira grande chance para o empate aconteceu aos 35 minutos, quando Dempsey lançou em profundidade para Robbie Findley, que deu um toque na bola, entrou na área e chutou rasteiro, tal como Boateng, mas procurar o canto mais longe do guarda-redes, permitindo a defesa de Richard Kingson, com a perna. O guarda-redes ganense fez uma sólida partida e evitou em diversas ocasiões o golo dos norte americanos.

O Gana chegou a ter as suas chances no contra-ataque, mas nessas investidas acabou esbarrando nos concentrados defensores norte-americanos, que se reabilitaram após um início de jogo menos bom, ou em Howard, como aos 37 minutos, com Kwandwo Asamoah, novamente pela quina da área à esquerda. Desta vez o guarda-redes americano estava bem posicionado para também defender com o pé.

No segundo tempo, Bradley fez outra alteração – esta recorrente durante o torneio –, tirando o segundo atacante Findley para colocar o médio Benny Feilhaber, dando assim mais liberdade para seus homens mais criativos para aproximarem-se da área. E deu certo. Aos 47 minutos, Dempsey desceu pela esquerda e serviu a Altidore no centro da área, que fez um bom passe rápido para Feilhaber, em corrida, Kingson saiu bem da baliza para fazer a defesa.

A pressão continuou, aos 62 minutos, veio o empate, Dempsey desta vez avançou pela faixa central de campo e foi derrubado por uma carga do defensor ganês Jonathan Mensah. Donovan foi para a marca de penalti e não falhou, engando o guarda-redes. A energia norte-americana, contudo, foi caindo à medida que o segundo tempo avançava, e o Gana voltava a aparecer no ataque, especialmente nos minutos finais, embora sua chegada à área não fosse tão incisiva até o apito final.

Bem diferente da arrancada de Asamoah Gyan aos 93 minutos, já no prolongamento. Passe longo da intermediária ganesa encontrou o atacante no um para um com Carlos Bocanegra, que jogou com corpo mas Gyan levou a melhor e conseguiu preparar a bola pela esquerda para soltar uma bomba por cima de Howard.

O atacante, desta forma, juntou-se a Donovan, ao uruguaio Luis Suárez, ao espanhol David Villa, ao argentino Gonzalo Higuaín e ao eslovaco Róbert Vittek como um dos melhores artilheiros do Mundial, todos com três golos. Na primeira fase, ele havia feito dois de penalti na vitória contra a Sérvia e no empate com a Austrália.

Nos últimos minutos, em mais uma tentativa de reação, os EUA até mandaram o seu guarda-redes Tim Howard para a área na cobrança de um canto, mas sem sucesso.

O Gana teve de se suar muito para passar pelos Estados Unidos, mas agora tem um bom período de descanso até enfrentar o Uruguai por uma vaga nas semifinais e manter a esperança africana de título no mundial que pela primeira vez decorre no continente, o jogo será realizado no dia 2 de julho, próxima sexta-feira.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!