Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Faltou capacidade física ao Ferroviário de Maputo para chegar a final do Afrobasket de clubes femininos que foi oferecido ao 1º de Agosto pela moçambicana Leia Dongue

Faltou capacidade física ao Ferroviário de Maputo para chegar a final do Afrobasket de clubes femininos que foi oferecido ao 1º de Agosto pela moçambicana Leia Dongue

Foto FIBADepois de uma primeira fase quase irrepreensível, apenas uma derrotada, o Ferroviário de Maputo sonhou com o título da 21ª edição da Taça dos clubes campeões africanos em basquetebol porém a meio do terceiro período da meia-final, onde enfrentou o Interclube de Angola, faltou capacidade física para disputar a sua segunda final continental. Na derradeira partida em Luanda as locomotivas treinadas por Leonel Rodolfo Manhique desforraram-se da equipa do First Bank da Nigéria e conquistaram a medalha de bronze. O título ficou em Angola, o 1º de Agosto acabou com a hegemonia do Interclube, mas foi conquistado pela moçambicana Leia Dongue.

Na meia-final disputada no sábado(05) a equipa moçambicana não se deixou intimidar pela entrada de rompante das anfitriãs e depois de verem jogar sem conseguir marcar muitos pontos no período inicial, que perdeu por 13 a 9 pontos, as locomotivas fecharam bem o seu sector defensivo e começaram a pressionar as adversárias com a bola empatando a partida e fazendo a cambalhota no marcador no início do segundo período.

O Ferroviário, com um triplo, até abriu uma vantagem de cinco pontos mas as angolanas voltaram a empatar o jogo. Antes do intervalo a equipa moçambicana voltou a concretizar uma bomba de três pontos e saiu para o intervalo a vencer por 25 a 28 pontos.

As angolanas estavam nervosas, temiam que o resultado da derrota da 2ª jornada da primeira fase pudesse repetir-se. Mas a internacional angolana Nadir Manuel galvanizou as suas companheiras quando no início do terceiro período desempatou mais uma vez a partida que na altura estava igualada a 29 pontos.

As locomotivas não se deram por vencidas e voltaram a passar para a frente do marcador. Porém Odélia Mafanela jogava quase sozinha, faltou experiência às jovens Ana Suzana Jaime e Inguivild Mucaro e nem nigeriana Ndidi Madu conseguia apoiar a equipa moçambicana que viu as campeãs em título voltarem para a frente do placar e começar a alarga-lo, 48 a 41 pontos foi o resultado à entrada do derradeiro período.

Daí para frente só deu Interclube, “veio ao de cima a capacidade física e o plantel reduzido, o nosso plantel não tem condições para um campeonato como este” disse no final o treinador Leonel Rodolfo Manhique que lamentou também as dificuldades da preparação da equipa que só ficou completa na véspera da partida para a cidade de Luanda.

Com 5 minutos para jogar uma bomba de Inguivild e mais 2 pontos de uma companheira reduziram a desvantagem para 3 pontos mas a equipa não conseguiu defender e a equipa da polícia angolana, onde também se destacaram a norte-americana naturalizada Italee Lucas e norte-americana Sequoia Holmes, aumentou a liderança garantindo a sua sexta presença consecutiva numa final da Taça dos clubes campeões africanos em basquetebol.

Primeira equipa moçambicana a vencer adversárias da Nigéria

Foto FIBANo domingo(06) a equipa locomotiva da capital de Moçambique voltou à quadra do pavilhão Multiusos do Kilamba, na capital angolana, e escreveu mais uma página vitoriosa na sua história: a de ser a única equipa moçambicana a vencer as suas congéneres da Nigéria no mais importante troféu feminino de clubes do nosso continente.

Depois de nos quartos-de-final terem eliminado o Dolphins da Nigéria, por 79 a 74 pontos, as pupilas de Leonel Rodolfo Manhique derrotaram o First Bank, também da Nigéria, por esclarecedores 71 a 54 pontos.

A equipa moçambicana entrou mais forte e adiantou-se no placar abrindo uma vantagem de 7 a 0 antes do primeiro ponto das suas adversárias e venceram o primeiro período por 15 a 10 pontos.

No segundo período a equipa nigeriana esboçou uma pequena reacção, conseguindo igualar o placar a 15 pontos, porém as locomotivas não facilitaram e voltaram para a liderança do marcador saindo para o intervalo a vencer por 30 a 23 pontos.

No terceiro período o Ferroviário controlou bem a partida e foi aumentado a sua vantagem que chegou aos 17 pontos.

Nos derradeiros dez minutos Ana Suzana Jaime, que voltou a apresentar-se em boa forma somando 16 pontos com cinco triplos certeiros, e companhia confirmaram a vitória e as medalhas de bronze.

Destaque ainda para as boas exibições das jovens Ingvild Mucauro e Pérola Mutombene que juntas somaram 25 pontos para a vitória do Ferroviário de Maputo.

Foto FIBANove anos depois o Ferroviário de Maputo voltou a subir ao pódio da Taça dos clubes campeões africanos em basquetebol, em 2006 havia conquistado a medalha de prata após ser derrotado na final disputada no Congo pelo 1º de Agosto de Angola.

À terceira tentativa consecutiva a equipa do 1º de Agosto acabou por destronar as também angolanas do Interclube por 69 a 53 pontos e conquistar o seu segundo troféu de clubes do continente, graças a mais uma grande exibição da moçambicana Leia Dongue que sozinha marcou 28 pontos.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!