Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Ex-Director acusado de desvio de salários

O ex-director dos serviços distritais de Educação, Juventude e Tecnologia (SDEJT) de Mecuburi, Julião Amade, é indiciado de desvio de um avultado montante destinado ao pagamento de salários correspondentes a 18 meses devidos a um docente do sector suspenso, verbalmente, das suas actividades por ordem daquele responsável sob a alegação de prática de irregularidades, sobretudo consumo abusivo de bebidas alcoólicas durante o período laboral.

 

António Daniel, docente da escola primária completa de Metotia, posto administrativo sede de Mecuburi, explicou, durante um encontro popular orientado há dias pelo governador de Nampula, Felismino Tocoli, na capital daquele distrito, que fora suspenso verbalmente pelo então director dos Serviço distrital de Educação, Juventude e Tecnologia, em Dezembro do ano 2006, tendo sido reintegrado em meados de 2008, sem, no entanto, auferir os seus salários vinham sendo processados regularmente e que os mesmos estavam sendo usados em benefício próprio pelo director da instituição, Julião Amade -contou a vítima da alegada vigarice, ajuntando que os comprovativos referentes ao recebimento dos valores correspondentes as seus dos últimos 18 meses estão na posse da SDEJT.

 

Acrescentou nunca ter sido objecto de, que se encontra, actualmente, a e de qualquer processo disciplinar em xercer as mesmas funções no distrito de função das alegações da sua suspen-Mogovolas, mas o governador Felismino são e, muito menos, ter tido acesso a Tocoli prometeu criar uma comissão um documento aludindo a sua suspen-para averiguar o sucedido com aquele são de todas actividades lectivas, razão funcionário para reposição da justiça. que o motivou a apresentar o caso ao governador.

Junto do SDEJD em Mecuburi, soubemos que António Daniel teria sido suspenso das suas actividades em Dezembro de 2006 sob pretexto de abandono sistemático do posto de trabalho, situação influenciada pelo consumo abusivo de bebidas alcoólicas.

Passado cerca de um ano, o docente recebeu a ordem de expulsão do aparelho do estado, sem que, no entanto, tivesse sido ouvido para a instrução do respectivo processo disciplinar. A nossa reportagem tentou, sem sucesso, ouvir a versão de Julião Amade, que se encontra, actualmente a exercer as mesmas funções no distrito de Mogovolas, mas o governador Felismino Tocoli prometeu criar uma comissão para averiguar o sucedido com aquele funcionário para reposição da justiça.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!