Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Estragos da chuva condicionam aulas nas escolas da capital moçambicana

Pelo menos 29 escolas, entre primárias e secundárias, registaram danos assinaláveis em consequência da chuva que assolou a capital moçambicana, Maputo, na última terça-feira (15). As aulas foram interrompidas e retomadas esta quinta-feira (17), mas decorrem de forma condicionada.

Deste número, 10 escolas são do Distrito Municipal KaMavota, sete do KaMaxaquene, cinco no KaMubukwane, igual número no KaNhlamankulo e dois no KaTembe.

O director da Direcção da Educação da Cidade de Maputo, Antonino Granchane, disse ao @Verdade que muitas infra-estruturas escolares ficaram inundadas. Algumas desabaram e, por conseguinte, há material de ensino como livros total e parcialmente perdido.

No Distrito Municipal KaMaxaquene, de acordo com a nossa fonte, os principais problemas ocorridos foram: a inundação das salas de aulas e o bloqueio das vias de acesso.

Na Escola Comunitária 4 de Outubro, no mesmo distrito, seis salas de aulas e uma biblioteca estão em risco de desabar. A papelaria não resistiu à fúria e pressão da chuva, virou escombros.

No KaMavota, 10 escolas foram afectadas. A Escola Primária Completa de Magdala ficou sem a casa de banho e a Primária Completa Hulene “B” sem o tecto.

Na mesma zona, a direcção distrital perdeu uma parte dos documentos inerentes às actividades diárias de ensino e aprendizagem porque um computador teria sido atingido pela chuva.

Relativamente a KaMubukwane, a fonte informou que das cinco escolas afectadas, quatro ficaram completamente alagadas e uma de forma parcial.

No KaNhlamankulo, os problemas registados relacionam-se com o bloqueio das vias de acesso às escolas, enquanto no KaTembe uma das instalações teve as salas alagadas.

Granchane disse também à nossra Reportagem que algumas escolas interromperam as aulas e retomaram esta quinta-feira (17).

Segundo disse, uma vez que a época chuvosa se prolonga até Março próximo, o sector da Educação está a estudar medidas para minimizar o impacto da chuva nas escolas.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!