Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Estado de saúde de Schumacher continua grave, segundo o hospital

O estado de saúde de Michael Schumacher é estável, mas continua grave, oito dias depois de o alemão ter sofrido lesões no cérebro em consequência de um acidente de esqui na França.

“O estado clínico de Michael Schumacher é estável, à medida que ele continua sob tratamento e cuidados permanentes”, disse o hospital em Grenoble onde o ex-piloto está internado em boletim médico, esta segunda-feira.

“Entretanto, a equipe médica responsável reforça que continua a considerar a situação dele como grave.” O heptacampeão mundial de F1 bateu a cabeça numa rocha quando esquiava fora da pista, a 27 de Dezembro.

Schumacher está em coma induzido desde então e já foi submetido a duas cirurgias. A equipe médica e a agente do alemão voltaram a pedir, esta segunda-feira, respeito à privacidade de Schumacher e disseram que não irão enviar mais declarações nem realizar qualquer entrevista colectiva até novo aviso.

Semana passada, a agente Sabine Kehm exortou os jornalistas a ficarem longe de Schumacher depois de os seguranças terem dito ter interceptado um repórter disfarçado de padre que estava a tentar entrar no quarto do ex-piloto.

“A privacidade do paciente exige que nós não revelemos quaisquer detalhes sobre o seu tratamento e é por isso que não planeamos qualquer entrevista colectiva, nem comunicados escritos por agora”, disseram a equipe médica e a agente de Schumacher.

“Pedimos-lhes novamente, insistentemente, para… ficarem com as informações fornecidas pela equipe médica responsável ou o seu agente, porque eles são os únicos válidos.”

Enquanto Schumacher luta pela vida, depois de sofrer uma hemorragia interna grave no crânio, as autoridades francesas investigam o acidente que ocorreu no resort de Meribel, nos Alpes.

O alemão, que completou 45 anos na sexta-feira, é o piloto de maior sucesso na história da Fórmula 1, com o recorde de 91 vitórias. Ele deixou a F1 no ano passado depois de um retorno decepcionante de três anos com a Mercedes, depois de ter anunciado em 2006 a aposentadoria da Ferrari.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!