Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Eslováquia 0 – Paraguai 2: O que eles disseram após o jogo

“Ganhamos bem. Estamos tranquilos e muito contentes, tanto pela evolução do desempenho como por termos deixado para trás uma partida tão complicada e tão decisiva. Dominamos quase todo o jogo, o que é sempre difícil numa Copa do Mundo. Os três atacantes se movimentaram bem e pressionamos muito. Houve momentos no segundo tempo em que não saímos de trás, mas ainda assim criamos situações de golo. Agora é necessário continuar trabalhando, porque conseguimos três pontos importantes, mas não a classificação.” Gerardo Martino, treinador do Paraguai.

“Eles foram melhores do que nós em uma partida muito importante. Cometemos dois erros que eles aproveitaram para anotar os seus dois golos. O Paraguai demonstrou um futebol de alta qualidade e se mostrou decidido a ganhar do início ao fim. Jogamos com toda a nossa alma, mas no final ficou claro até onde poderíamos chegar na partida.” Vladimír Weiss, técnico da Eslováquia.

“O mais importante é ganhar, e não como atuei. Neste caso, conseguimos jogando um bom futebol contra um rival realmente difícil. Ganhamos porque pressionamos muito bem no primeiro tempo, tivemos paciência com a bola e sem ela e aproveitamos duas das quatro ou cinco situações que criamos.” Justo Villar, guarda-redes e capitão do Paraguai.

“Realmente não sei qual foi o nosso problema. Estamos cometendo muitos erros, especialmente na defesa. Sabíamos que seria difícil derrotá-los, mas não conseguimos criar ocasiões suficientes.” Miroslav Stoch, meio-campista da Eslováquia.

“Jogamos uma partida perfeita. Marcamos um golo cedo, nos defendemos bem e depois definimos o jogo no momento certo. A Eslováquia é um adversário difícil, que espera e sai rápido no contra-ataque, mas não conseguiu nos surpreender. Demos um passo importante e agora falta pouco para atingir o primeiro objetivo. Contra a Nova Zelândia, precisamos entrar com a mesma postura para ganharmos e não dependermos dos outros.” Paulo da Silva, defesa do Paraguai.

“Não jogamos mal, mas não conseguimos concretizar as nossas chances e eles converteram as que criaram. Foi isso que fez a diferença.” Marek Hamsik, capitão e meio-campista da Eslováquia.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!