Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Em Maputo: AFRALTI debate futuro das telecomunicações e TIC’s em África

Em Maputo: AFRALTI debate futuro das telecomunicações e TIC’s em África

Foto de Fim de SemanaPolíticas, normas relativas à gestão de contas do organismo e directrizes sobre o futuro das telecomunicações e TIC’s em África constam das matérias em debate na 54ª reunião do Conselho de Governação do Instituto Africano de Nível Avançado de Formação em Telecomunicações (AFRALTI), cuja abertura oficial decorreu quarta-feira, 16 de Agosto, em Maputo.

Intervindo na cerimónia de abertura do encontro, o secretário-permanente do Ministério dos Transportes e Comunicações, Pedro Inglês, reconheceu o papel do instituto no desenvolvimento do capital humano.

Sobre a reunião, Pedro Inglês referiu que a mesma se reveste de grande importância na medida em que “irá discutir assuntos de interesse geral para o desenvolvimento das telecomunicações no continente africano”.

Por seu turno, o director do AFRALTI, Eustace Maboreke, referiu-se à necessidade de os países-membros apostarem na melhoria da literacia digital das suas populações com vista a maximizar os benefícios das TIC’s. “Torna-se imperativo estender o acesso às tecnologias a todos os membros, organizações e comunidades. O desenvolvimento das capacidades humanas deve ser inclusivo e materializar este desiderato é um dos desafios que se impõem ao nosso continente”, disse Eustace Maboreke.

Já o presidente do Conselho de Administração da TDM e da mcel, Mahomed Rafique Jusob, encorajou o organismo a envidar esforços no sentido de expandir o acesso dos seus serviços a mais cidadãos, o que pode concorrer para o cumprimento dos objectivos traçados para esta área pelos governos dos Países membros.

Este apelo surge do facto de, segundo Mahomed Rafique Jusob, o AFRALTI ser “parceiro estratégico de referência na formação e capacitação de quadros e colaboradores para o desenvolvimento de competências de alto nível nas instituições do Estado e do sector privado nas áreas das telecomunicações, TIC’s e gestão”.

Como organismo criado para complementar e liderar os esforços de desenvolvimento das TIC’s no continente, o AFRALTI proporciona oportunidades de formação de nível avançado de gestão do pessoal de nível médio e superior, em cargos técnicos e de gestão, no sector de telecomunicações na África Oriental e Austral.

Em 2002, a União Internacional de Telecomunicações (UIT) designou e apoiou o AFRALTI para se tornar um centro de excelência no fornecimento de soluções de Tecnologias de Informação e Comunicação para organizações em países africanos de língua inglesa, ampliando o seu âmbito para incluir a prestação de serviços de consultoria, actuando como um ponto focal para iniciativas regionais da sociedade de informação.

Actualmente, o AFRALTI possui oito países-membros activos, representados pelos respectivos reguladores das áreas de telecomunicações e TIC’s, nomeadamente Quénia, Tanzânia, Uganda, Malawi, Zâmbia, Zimbabué, Moçambique e Suazilândia, sendo o nosso representado pela TDM, tendo como observador, o INCM a par do Sudão de Sul.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!