Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Em avaliação novos projectos de areias pesadas em Gaza e Inhambane

Está na fase conclusiva a avaliação dos resultados de estudos de mais áreas para o desenvolvimento de projectos de exploração de areias pesadas nas regiões de Mutamba, em Inhambane, e de Chilubane, na província meridional de Gaza.

O trabalho está a ser desenvolvido pelo grupo Rio Tinto Iron and Titanium, segundo Andrew Woodley, director executivo de Operações e Desenvolvimento da companhia Rio Tinto Coal Moçambique, destacando haver “fortes possibilidades” de se iniciarem trabalhos de exploração daquele recurso natural.

Woodley indicou, por outro lado, estarem a ser aplicados no Centro de Moçambique cerca de 250 milhões de dólares norte-americanos em projectos de construção de infra-estruturas portuárias e de reassentamento da população que está a ser retirada das zonas de ocorrência do carvão mineral, na província central de Tete.

Dissertando sobre “A abordagem da Rio Tinto para o desenvolvimento de um negócio de carvão de classe mundial em Moçambique”, Woodly disse que o novo investimento deve-se ao facto de a sua companhia saber que a produção actual e seu futuro crescimento estão limitados pela infra-estrutura.

“A capacidade de transporte de carvão é insuficiente para responder às necessidades de produção actual e futura da Rio Tinto e de outras mineradoras de carvão”, elucidou, salientando que Moçambique necessita de novos investimentos significativos na cadeia de carvão, inclusive, nos portos e infra-estrutura ferroviária.

Woodly deu exemplo do que vai acontecer num futuro não longínquo na produção de carvão em toda a bacia de Moatize que possui potencial para atingir 100 milhões de toneladas por ano, mas, actualmente, a linha ferroviária da Beira só consegue transportar cerca de dois milhões de toneladas por ano.

Para atenuar a situação decorrem trabalhos de remodelação da linha e de actualização adicional para permitir que a linha ferroviária da Beira atinja a capacidade de seis milhões de toneladas por ano, isto depois de o terminal de carvão no cais-8 da Beira ter sido inaugurado e estar operacional.

Refira-se, entretanto, que na mina de Benga as operações começaram no primeiro trimestre de 2012 e no início de Junho procedeu-se à inauguração oficial do novo terminal de carvão na Beira, tendo depois sido feito há cerca de duas semanas o primeiro carregamento de carvão de coque de alta qualidade com destino à Índia.

O director executivo da companhia Rio Tinto falava esta terça-feira, em Maputo, durante a 3ª Conferência Anual Internacional de Carvão em Moçambique.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!