Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Ela venceu um tumor maligno

Chama-se Stela Banze, completou recentemente 24 anos de idade e, há mais de um ano, foi-lhe diagnosticado um cancro maligno na face que, logo após a sua remoção, a tornaria surda e muda para o resto da vida. E, hoje, tem razões mais do que suficientes para sorrir.

Afinal, são raros os casos de pessoas que sobrevivem ao carcinoma. Há bem pouco tempo era possível ver panfletos colados nas paredes ao longo da cidade de Maputo com a imagem duma jovem mulher, estudante de ciências biológicas na UEM, em busca de ajuda para se curar do cancro que se alastrava no seu rosto atingindo o pescoço.

Ela precisava de 80 mil randes para se tratar na vizinha África de Sul. Bateu várias portas sendo que uma se abriu; neste caso, foi a da associação moçambicana “Sorriso da Criança” que tem como mote “Solidariedade ajuda a salvar vidas”. A associação, habituada a lidar com casos do género, informa-a de que não tinha fundos, mas poderia ser tratada gratuitamente em Portugal através de um protocolo que existe entre os governos português e moçambicano na área da saúde.

A associação ajudou Stela a pedir autorização à junta médica, dizendo que suportaria todas as despesas e, tempos depois, obteve uma resposta satisfatória tendo-se de seguida marcado a consulta. Ana Paula Pina, uma das responsáveis daquela associação sem fins lucrativos, afirmou que houve muitas barreiras para que Stela fosse a Portugal, mas, graças à boa-fé de pessoas singulares e parceiros da associação, que ofereceram alojamento e juntaram dinheiro para a aquisição da passagem aérea, tudo correu bem.

Chegada a Portugal, Stela teve a sorte de ser acolhida por freiras que lhe ofereceram alojamento tendo no dia seguinte feito a consulta.

Os médicos acharam conveniente interná-la no Instituto Português de Oncologia devido ao seu estado de saúde, onde foi submetida a uma série de exames para avaliar o estágio da doença. Correndo o risco de se tornar surda, muda e de perder os movimentos faciais, ela foi submetida a uma operação que durou cerca de seis horas, tendo o tumor sido removido com sucesso.

Ainda sem apoio da parte do Governo moçambicano, e contando apenas com ajuda de pessoas como Andreia Fragatas, Luís Lopes e a linha contra o cancro, Stela recupera da cirurgia aguardando a fase posterior do tratamento, a da radioterapia.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!