Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Egito condena policia à morte por matar manifestantes

Uma corte criminal do Egito sentenciou um policia à morte, no domingo, à revelia por ter matado manifestantes, na primeira decisão do tipo desde os protestos pró-democracia que derrubaram o então presidente egípcio Hosni Mubarak em 11 de fevereiro.

A sentença elevou as apostas para a condenação de outras autoridades de segurança, acusadas de terem participado da morte de manifestantes, incluindo o ex-ministro do Interior Habib al-Adli, que já foi sentenciado a 12 anos de prisão por corrupção.

A corte do Cairo condenou o policial Mohamed Abdel-Monem pela morte de 20 manifestantes e por ter ferido outros 15 em 28 de janeiro, de acordo com uma fonte do judiciário, em um dos episódios mais sangrentos dos 18 dias de protestos que depuseram o presidente Mubarak.

O tribunal remeteu o processo ao Grande Mufti, a autoridade religiosa do Egito, que deve aprovar todas as sentenças de morte. A pena de Abdel-Monem, que conseguiu escapar, seria confirmada em 26 de junho, aguardando a aprovação de Mufti.

Mais de 800 pessoas morreram na revolta após a polícia disparar balas de revólver, balas de borracha, canhões de água e gás lacrimogêneo contra os manifestantes, que tomaram as ruas em 25 de janeiro. Dias depois, os policiais perderam o controle e foram retirados. O Exército foi enviado às ruas.

Um procurador acusou Abdel-Monem de ter matado manifestantes ao abrir fogo de maneira aleatória em frente à estação policial, para impedir uma possível invasão, segundo reportagem da agência de notícias estatal.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!