Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

DJ Ardiles e Mr. Kuka educam a sociedade com “Meio Rico Meio Pobre”

Os músicos moçambicanos, Mr. Kuka e DJ Ardiles, lançaram recentemente a sua nova obra discográfica intitulada “Meio Rico Meio Pobre”. O disco, que corresponde o primeiro “single” do duo para 2015, sucede o êxito do “Disco do Povo”, lançado em Dezembro do ano passado.

A nova criação dos fundadores da República do Pandza (RDP ) aborda essencialmente o problema da gestão financeira de alguns chefes de família em Moçambique, terra natal dos artistas. Um paradigma que, segundo os autores, afecta parte significativa das famílias moçambicanas – particularmente os jovens casais – que, vezes sem conta, vê as suas despesas insatisfeitas devido à má gestão do salário mensal.

Para Ardiles e Kuka a razão deste, que os dois consideram problema social, tem a ver com o “Txiling que começa no dia 30, ou seja, assim que é auferido o valor do salário é imediatamente canalizado ao lazer…”. Na verdade tudo começa e termina no dito fim de mês porque até ao regresso à casa nem um tostão de consolo resta no bolso deste chefe de família”, argumentam.

A dupla considera que parte dos jovens moçambicanos precisam de definir prioridades para as suas vidas com alguma coerência. “É preciso que façamos um plano para a nossa vida, temos que regrar o nosso consumo quanto jovens com diversos projectos pela frente”, salientam.

De todos os modos, embora as razões sejam vastas, uma das consequências da gestão danosa de finanças é acumulação de dívidas. Por tanto, “Meio Rico Meio Pobre” chama-nos a atenção sobre uma tensão social que acaba afectando todo o país, pois há aqui uma cadência de factos extremamente envolventes.

Se por um lado, o chefe de família perde o controle da gestão do seu lar porque as contas não estão a sair, por outro, os seus dependentes (filhos, esposa e os demais) começam a arranjar alternativas para a sua subsistência.

Nesta música “Meio Rico Meio Pobre”, Ardiles e Kuka não abondam a sua forma característica de ser e estar na arte: a sátira está lá presente, mas com muitas lições de vida não só para Moçambique, assim como, para a humanidade.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!