Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Distância entre mulheres e homens no desporto diminui, diz um estudo

A velocidade fenomenal da nadadora adolescente chinesa Ye Shiwen nos Jogos de 2012 está a fazer muitos perguntarem-se se a distância entre mulheres e homens no desporto pode desaparecer um dia.

Ye, que já conquistou duas medalhas de ouro e quebrou um recorde mundial na Olimpíada de Londres, marcou um tempo na última volta do medley do nado livre que rivaliza com o dos campeões.

Há evidências de sobra para mostrar que existe uma distância entre os gêneros, que se manifestou sempre que as mulheres competiram ao lado dos homens nos eventos desportivos internacionais.

Mas essa separação vem estreitando-se ao longo das décadas, será que um dia as mulheres alcançarão os homens? Chegarão perto, diz John Brewer, professor de ciência do desporto da Academia de Ciências do Esporte Lucosade, na Grã-Bretanha.

As mulheres participaram nos Jogos Olímpicos pela primeira vez em Paris em 1900, quatro anapósdepois dos primeiros Jogos da era moderna, em Atenas.

A participação feminina aumentou constantemente desde então, e as mulheres representam cerca de 45 por cento dos atletas na Olimpíada de 2012, comparadas com os 23 por cento em Los Angeles em 1984 e meros 13 por cento de Tóquio em 1964.

Mas as mulheres nem sempre puderam competir em todos os desportos nas distâncias com que os homens lidam.

Nos desportos mais “maduros”, nos quais mulheres e homens vêm correndo, saltando ou nadando lado a lado nas competições internacionais há muitas décadas, a diferença establizou-se, disse Brewer.

“Mas onde a diferença ainda está a estreitar-se é nos desportos femininos menos maduros, como os eventos de resistência, a maratona, os 10 mil metros, e a natação de longa distância”, afirmou.

As mulheres só tiveram permissão de correr a maratona a partir dos Jogos de 1984, e a prova feminina dos 10 mil metros só estreou em 1988.

Um estudo publicado em 2010 no Jornal de Ciência do Esporte e Medicina, que analisou a diferença entre os recordes mundiais de mulheres e homens desde 1896, revelou que a distância reduziu-se de forma consistente até perto de 1983, e depois se estabilizou.

A diferença média entre mulheres e homens em todos os eventos é de aproximadamente 10 por cento, mas isso varia de 5,5 por cento nos 800m estilo livre na natação a 18,8 por cento no salto em altura.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!