Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Diarreias agudas assolam distrito de Malema

O distrito de Malema, na província de Nampula, está a ser fustigado, desde finais de Setembro último, por um surto de diarreias agudas, uma situação que está a ganhar contornos alarmantes no seio das comunidades. Entretanto, apesar da subida de número de casos que dão entrada diariamente nas unidades sanitárias, sendo que o maior número é da vila-sede do distrito, a enfermidade ainda não é considerada cólera.

De acordo com Felisberto Manuel, director distrital da Saúde em Malema, desde que a doença eclodiu, a 30 de Setembro último, até esta altura foram registados 112 casos, dos quais um óbito.

Aquele quadro governamental referiu ainda que, em média diária, dão entrada na unidade sanitária da vila sede do distrito cerca de 15 doentes padecendo de diarreias agudas, sobretudo no período nocturno, altura em que grande parte á constituída por enfermos adultos.

Os bairros periféricos da vila sede do distrito de Malema, sobretudo os que se encontram ao longo dos caudais dos rios Malema e Mecubúri, são os que registam uma situação alarmante devido, em parte, ao incumprimento das regras básicas de higiene, no que tange ao tratamento da água.

Felisberto Manuel referiu igualmente que a população que vive nas mencionadas regiões usa água dos rios para consumo, higiene individual, confecção de alimentos, lavagem de utensílios domésticos e roupa, uma situação que propicia a eclosão de doenças diarreicas. “A roupa dos pacientes que se encontram internados por causa de diarreias é também lavada nestes rios, daí que se têm multiplicado doentes com a mesma doença. Apesar dos apelos que temos vindo a disseminar, a mensagem tem sido dificilmente acatada”.

Por outro lado, o nosso entrevistado disse que há fortes indícios de os casos relacionados com as diarreias agudas resultarem de uma contaminação duma paciente que vinha do distrito vizinho de Cuamba, província do Niassa. “Em Cuamba há registo de cólera, e tivemos uma paciente que vinha de lá que ficou internada cá em Malema. Devido aos hábitos e costumes locais a doença em causa poderá ter-se alastrado”, revelou.

Devido à gravidade do problema, segundo Felisberto Manuel, o distrito recebeu na terça-feira (20) cinco médicos e técnicos de Saúde de diferentes unidades sanitárias, os quais se juntaram ao pessoal em serviço no hospital da vila sede do distrito de Malema para fazer face à patologia.

Foi igualmente instalado um centro de isolamento especificamente para pacientes com diarreias agudas, a fim de evitar a contaminação e o alastramento da doença.

Num outro desenvolvimento, o dirigente revelou que foram recolhidas as amostras e enviadas ao laboratório da cidade de Nampula com vista a determinar se a doença está ou não relacionada com a cólera. “De facto estamos em alerta vermelho, daí que nos tenhamos desdobrado pelos distritos para sensibilizar as comunidades sobre a necessidade de tratarem a água com cloro ou Certeza (…)”, disse a concluir Felisberto Manuel.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!