Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Dez pessoas morrem afogadas em Maputo, Tete e Nampula

Cinco pessoas da mesma família morreram afogadas, no último sábado (27), quando o barco em que se faziam transportar virou no rio Incomáti, numa altura em que efectuava a travessia Macaneta-Marracuene, na província de Maputo. Em Nampula, dois cidadãos de oito e 32 anos de idade pereceram da mesma forma. Na cidade de Maputo e na província de Tete, três indivíduos, de 15, 16 e 35 anos de idade, também perderam a vida por afogamento.

 

Relativamente à tragédia que ocorreu na travessia Maneta-Marracuene, as vítimas são uma senhora e seus dois filhos, uma nora e uma neta. Segundo as autoridades policiais, o barco no qual se faziam transportar já estava em mau estado de conservação e elevava a bordo 11 pessoas, número considerado excessivo. Refira-se que o batelão que assegura as travessia entre as duas margens está avariado desde a semana passada.

Em relação a Nampula, as vítimas respondiam pelos nomes de Assanito Francisco e Luciano Ernesto, de oito e 32 anos de idade. A desgraça deu-se no distrito de Monapo, segundo Miguel Bartolomeu, porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM).

Assanito encontrou a morte quando estava a tomar banho numa represa, algures naquele distrito. Luciano morreu, também, nas mesmas circunstâncias numa barragem de captação de água de Monapo.

Relativamente à cidade de Maputo e província de Tete, os dois óbitos registaram-se entre  21 e 28 de Setembro. O primeiro caso ocorreu por volta das 16h00, na doca do Clube Naval, na capital moçambicana, onde um corpo foi encontrado a flutuar. Presume-se que a vítima tinha 35 anos de idade. No período em alusão, duas menores de 15 e 16 anos de idade pereceram afogadas numa represa da mineradora Vale Moçambique, na província de Tete.

Segundo David Cumbane, porta-voz do Serviço Nacional de Salvação Pública (SENSAP), o corpo descoberto no Clube Naval apresentava sinais de ter sido mordido por animais aquáticos. Ele considerou que afogamentos e incêndios t6em sido frequentes nas cidades de Maputo, Nampula e da Beira.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!