Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Detidos dois padres criminosos em Nampula

Dois padres da Igreja Católica, em Nampula, afectos no distrito de Nacaroa, na comunidade de Nahatthje, encontram-se a ver o sol pelos quadradinhos, indiciados de três crimes nomeadamente de cárcere privado, ofensas corporais e incêndio de uma residência, além de furto de bens de alguns cidadãos residentes na vila sede daquele distrito.

Trata-se dos padres António Jorge, de 33 anos de idade, natural de Mongicual ,e Alexandre Caetano, de 40 anos de idade, natural de Nacaroa.

Estes dois padres foram detidos, esta Segunda-feira, depois de terem encarcerado quatro cidadãos, dois homens e duas mulheres, depois de aqueles alegarem terem sido roubados dois sacos de milho no seu armazém.

Os quatro cidadãos, depois de serem desconfiados pelos padres foram submetidos a várias torturas e cárcere privado durante 48 horas.

Os mesmos padres apropriaram-se de quantidades não especificadas de milho e outros produtos alimentares, destruição de algum bens dos quatro cidadãos e fogo posto a uma das residências dos dois casais.

Ressalta-se também o facto de os dois padres terem despido roupa às duas senhoras, por sinal esposas dois detidos por eles, entre outros crimes.

A população local, que contactou a nossa reportagem para revelar os factos afirmou que não é pela primeira vez que os dois padres protagonizam a destruição de casas e bens da população, visto que, ano passado, tinham queimado a casa de um cidadão por ter lhes questionado sobre um alegado aliciamento à sua esposa.

“Eles eram Reis aqui, faziam e desfaziam. Depois de uma resolução local entre o proprietário da casa queimada e os padres, estes chegaram a indianizar o o proprietário” – disse uma testemunha, para depois afirmar que, além de crimes que vinham cometendo, os dois padres andavam a violar menores e esposas dos crentes da igreja onde dirigiam as suas missas.

Uma fonte policial referiu que o processo foi instaurado e legalizado para a detenção e, neste momento, os dois padres foram transferidos para as celas do Comando Distrital de Erati por questões de segurança.

Sobre o que pesava contra os dois padres, a fonte disse que, de princípio, os dois padres alegavam ter sido roubados dois sacos de milho, só que no processo de investigações acabaram por violar algumas leis.

“Porque depois da suspeita que tiveram em relação ao provável local e pessoas que teriam roubado o milho deveriam colocar a queixa às autoridades policiais, o que não fizeram, tendo encarcerado na casa deles e violado fisicamente os dois casais” – disse.

A fonte afirmou que, na verdade, acabou se descobrindo que os padres não tinham sido roubados nada, o que garantiu a liberdade dos indivíduos acusados por eles.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!