Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Desconhecidos raptam empresário de ascendência hindú em Maputo

Depois de pouco mais de um mês de interregno, os raptores voltaram à carga esta sexta-feira (10) e raptaram, em plena luz do dia, numa zona movimentada, um moçambicano pertencente à Comunidade Hindu, identificado por Kishor Chootalal, de 57 anos de idade, o qual é proprietário da “Casa Pandia”, um estabelecimento comercial destinado à venda de capulanas na baixa da cidade de Maputo.

A vítima, que se encontrava numa viatura conduzida pelo seu motorista, foi interceptada na Avenida Filipe Samuel Magaia, nas imediações do Hotel Moçambicano, na capital do país, numa altura em que vinha da mesquita e se dirigia em direcção à sua loja, que, por sinal, localiza-se na mesma avenida onde se deu o sequestro.

Os depoimentos de testemunhas indicam que Kishor Chootalal chegou ao local onde foi levado à força enquanto estava a ser perseguido sem se aperceber, dada a forma como o rapto foi orquestrado, naquela zona que fica a poucos quarteirões do Ministério do Interior e do Comando da Polícia da cidade de Maputo.

Testemunhas narraram que um carro com a matrícula ADW 896 MP, bloqueou, propositadamente, a viatura na qual Kishor Chootalal era conduzido pelo motorista. Ambos quando se aperceberam de que corriam perigo tentaram uma fuga imediatamente frustrada pelos supostos malfeitores que, aparentemente, já vinham com o plano bem traçado.

Houve disparos para o ar com o intuito de imobilizar Kishor Chootalal e desses tiros, um deles atingiu o seu motorista que foi depois socorrido para o Hospital Central de Maputo. Momentaneamente, as pessoas ficaram apavoradas devido ao que consideraram o ressurgimento da onda de sequestros em Maputo.

Refira-se que em 2013 hou vários raptos envolvendo até crianças, tendo atingido contornos alarmantes em Outubro. Dos julgamentos havidos em conexão com este tipo de crime, dezenas de pessoas foram condenadas a penas que variam de 13 a 17 anos de prisão. Este é o primeiro rapto que ocorre em 2014.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!