Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Gerais 2014: Daviz Simango e jovens do MDM traçam linhas mestras do manifesto eleitoral

O líder do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), Daviz Simango, e a Liga Juvenil do seu partido, a nível de cidade de Maputo, reuniram sábado último (19) na capital do país para definirem a estratégias de actuação nos pleitos eleitorais que se avizinham e estabelecerem as linhas que orientarão o seu manifesto eleitoral.

No encontro, os jovens do MDM apresentaram ao seu líder e candidato o que consideram serem os pontos a serem tidos em conta no processo de caça ao voto, com vista à concretização da “missão de revolução” em Outubro.

A inclusão de todos os moçambicanos no processo de desenvolvimento e no gozo do mesmo foi o ponto que mais se destacou nas diversas intervenções que, sob cânticos e aplausos, iam surgindo na sala.

O melhoramento de acesso à educação e serviços de saúde são tidos como aspectos fundamentais. Para aqueles jovens, o sistema nacional de educação deve garantir resultados qualitativos e não olhar apenas para a quantidade de pessoas que são abrangidas. “Queremos um ensino que nos garante uma profissão no fim dos estudos”, dizem.

Sendo a juventude a maioria populacional, esta deve ser cada vez mais inclusa nas actividades galvanizadoras da economia nacional. “É preciso que o jovem participe de forma activa na vida económica do país. Actualmente, os jovens ocupam empregos precários no país, ficando apenas como instrumento e não protagonistas de desenvolvimento”, referem.

Para os jovens da segunda maior força da oposição, sendo Moçambique um país rico em madeira, que é até ilegalmente exportada, não faz sentido que até hoje tenhamos milhares de crianças a sentarem no chão nas escolas, a apoiarem os cadernos no joelho, por falta de carteiras. Aliás, afirmam que enquanto as escolas não são apetrechadas, os montantes resultantes dos recursos florestais são usados por aqueles que “nos estão a colonizar.”

“Queremos estradas que vão garantir a circulação de produtos produzidos no nosso país. As pequenas e médias empresas, actualmente, abocanhadas devem ser potencializadas”.

Para as próximas eleições gerais, marcadas para 15 de Outubro, os jovens do MDM defendem que se deve investir mais na imagem do seu candidato, Daviz Simango, recorrendo-se também às redes sociais.

O líder do MDM acatou as mensagens dos jovens e comentando disse ser importante que se defina de forma clara os benefícios que os cidadãos devem ter com a exploração dos recursos minerais, principalmente os que se encontram em locais onde os recursos são explorados.

“É preciso que esteja claro como é que o cidadão e a comunidade se vão beneficiar quando se explora recursos na sua localidade. Não há políticas claras para os recursos”, disse Simango acrescentando que é preciso não esquecer que recursos devem servir também as gerações vindouras.

Para as próximas eleições, Daviz Simango entende que jovens devem engajar-se na fiscalização do processo de modo a se evitar prováveis fraudes. Aliás, sobre este aspectos, o porta-voz Sande Carmona recordou os jovens que o processo não será fácil. “Seremos presos, molestados, intimidados, mas temos uma ponto por atingir, no dia 15 de Outubro, que é a Ponta Vermelha”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!