Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Criança morre em disparo de foguete em Trípoli

Uma criança morreu este sábado quando um foguete atingiu uma casa famíliar, ao longo da estrada do aeroporto de Trípoli, palco de confrontos mortíferos ininterruptos, há uma semana, indicou uma fonte de segurança.

Segundo a agência PANA, “A criança, identificada como Anis Kamel, ferido pelo disparo dum foguete contra a casa dos seus pais, foi levado a um hospital, onde sucumbiu aos seus ferimentos na sala de reanimação”, acrescentou esta mesma fonte citada pelo jornal al-Wasat.

Troca de tiros de obuses, de foguetes e mísseis continuaram durante toda a noite de sexta-feira atè sábado de madrugada, indicaram testemunhas. Disseram que a área estava sob tensão devido a vastas operações militares e a combates entre beligerantes em torno do perímetro do aeroporto.

O aeroporto de Trípoli foi palco de confrontos domingo último entre milícias islamitas e seus rivais ex-rebeldes de Zenten, que controlam o aeroporto desde 2011, matando mais de 30 pessoas e ferindo dezenas doutras.

O Governo líbio indicou que os confrontos de domingo até à segunda-feira última causaram 90 porcento de danos nas instalações aeroportuárias e em aeronaves. As hostilidades continuavam, apesar de apelos vibrantes para a cessação das mesmas e apesar dum acordo concluido quinta-feira à tarde entre os protagonistas.

O primeiro-ministro líbio, Abdullah al-Theni, intensificou por outro lado reuniões com anciãos, dignitários e responsáveis locais de Trípoli, Fezzan e Gasr Ben Gashir para conseguir uma trégua, uma solução para a crise em Trípoli e a normalização da vida na capital. Esses confrontos armados surpreenderam os habitantes de Tripoli neste mês do Ramadão aumentando seus sofrimentos.

Além da insegurança, Tripolitanos estão confrontados com várias penúrias, nomeadamente as de gasolina, de produtos de primeira necessidade, sobretudo vegetais, bem como a falta de liquidez em bancos e constantes cortes de eletricidade.

O Governo líbio ameaçou recorrer às forças internacionais para que lhe permitam afirmar a sua autoridade. Afirmou continuar perseguir, perante a justiça, os autores da violência tanto aos níveis local como internacional por eles porém em perigo a vida dos civis.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!