Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Cresce o número de partos prematuros no mundo

Os países do mundo desenvolvido observaram que a taxa média de partos prematuros duplicou desde 1995, chegando a 6 por cento, apesar dos esforços para reduzir o fenómeno, de acordo com um relatório divulgado, Quarta-feira. Em todo o mundo, 15 milhões dos 135 milhões de bebés nascidos em 2010 foram prematuros e 1,1 milhão morreu, segundo o relatório “Born Too Soon” (nascido cedo demais), compilado como parte da iniciativa “Every Woman Every Child” (“Toda Mulher, Toda Criança”), da Organização das Nações Unidas (ONU).

Produzido ao longo de três anos e redigido por especialistas de 11 países, o relatório pretende chamar atenção ao problema e atrair doações de governos e instituições filantrópicas para resolvê-lo.

O trabalho analisa os nascimentos pré-termo (que ocorrem antes das 37 semanas da gestação; a completa dura 40 semanas) em 184 países, no maior estudo já realizado sobre o tema.

Dos 65 países que mantiveram dados confiáveis ao longo dos anos, apenas a Croácia, o Equador e a Estónia reduziram a taxa de nascimentos pré-termo desde os anos 1990.

Nos outros 62, apesar dos programas para melhorar o pré-natal e reduzir o número de cesáreas, os partos prematuros aumentaram duma média de 3 por cento para 6 por cento.

A falta de progresso é em parte causada “pelos mitos e equívocos” das agências de saúde pública, disse o médico Christopher Howson, vice-presidente para programas globais da instituição March of Dimes e autor do relatório.

Os equívocos incluem a noção de que os partos prematuros são raros e que, portanto, não são um problema significativo que mereça atenção e recursos.

“O relatório afasta essa ideia”, afirmou Howson. “O parto pré-termo não é apenas raro, como é comum e mata.” Mas o quanto ele é comum e em especial quão letal varia enormemente pelo mundo, produzindo o que Howson chama de “pavoroso gap de mortalidade”.

Os partos prematuros são responsáveis por quase metade das mortes de recém-nascidos no mundo, o que faz-lhe a segunda principal causa de morte de crianças abaixo de 5 anos, depois da pneumonia.

Embora mais de 90 por cento dos bebés nascidos antes de 28 semanas nos países mais ricos sobrevivam, nos países pobres mais de 90 por cento morrem.

As taxas de parto prematuro variam de 4 por cento em Belarus a 18 por cento no Malawi, e geralmente acompanham os índices de pobreza. Nove dos 11 países com taxas de parto pré-termo acima de 15 por cento situam-se na África Subsaariana.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!