Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Publicidade

Covid-19: mais sete óbitos em Sofala e na Cidade de Maputo. KamPfumo regista novo máximo de infectados. MISAU duplica camas para internamento na capital de Moçambique

coronavirus2711-mavalane-ministro00

Moçambique registou nesta quarta-feira (27) mais sete óbitos em pacientes infectados pelo novo coronavírus na Província de Sofala e na Cidade de Maputo, num dia em que foram identificados mais de meio milhar de infectados no Distrito Municipal de KamPfumo, um novo máximo. “O aumento de casos desde Janeiro está a levar a todos nós a uma situação de medo (…) o medo não vai resolver o problema”, tentou tranquilizar o ministro da Saúde que lidera as obras de duplicação de camas para o internamento de doentes da covid-19 na capital do país.

O Ministério da Saúde (MISAU) reviu para 336 o cumulativo de vítimas mortais da pandemia respiratória com o registo de três óbitos na Província de Sofala e quatro na Cidade de Maputo, sendo quatro do sexo masculino e três do sexo feminino, “todos de nacionalidade moçambicana e cujas idades variam entre 34 e 92 anos de idade. Destes, dois óbitos foram declarados no dia 23/01/2021, dois óbitos foram declarados no dia 24/01/2021, dois (2) óbitos foram declarados no dia 26/01/2021 e um (1) óbito foi declarado no dia 27.1.2021”.

“Nas últimas 24 horas, 871 indivíduos testaram positivo para covid-19”, revela o boletim epidemiológico do MISAU, desta quarta-feira (27), indicando que as novas infecções resultam de transmissão local e elevaram para 34.926 o total de casos positivos registados desde Março de 2020.

O documento detalha que entre os novos doentes 853 são moçambicanos, 12 são estrangeiros e seis são de nacionalidades ainda por apurar.

O @Verdade descortinou que novos surtos foram detectados na Província de Gaza, 67 infectados, na Província de Tete, 75 infectados, na Província de Nampula, 74 infectados, na Província de Tete, 67 infectados, na Província de Maputo, 67 infectados, na Província de Manica, 44 infectados, na Província de Sofala, sete infectados, na Província de Inhambane, sete infectados, e na Província do Niassa, cinco infectados.

O @Verdade apurou ainda que 504 dos novos infectados foram identificados no Distrito Municipal de KamPfumo, um novo máximo em 24 horas, aumentando para 16.871 o cumulativo de casos positivos na Cidade de Maputo onde o número de internados subiu 204, dos 258 doentes internados em todo o país.

“Esta é uma guerra onde temos um único inimigo que é o coronavírus”

Com as 120 camas existentes no Centro de Isolamento da Polana Caniço quase todas ocupadas e o Centro de trânsito aberto no Hospital Central de Maputo a abarrotar e com perspectiva que pico da pandemia poderá demorar 1 a 2 meses a ser atingido o Governo decidiu abrir um novo Centro de Isolamento, no Hospital Geral de Mavalane, com uma capacidade de 230 camas.

“Entendemos que o aumento de casos desde Janeiro está a levar a todos nós a uma situação de medo, de pânico e provavelmente de outras condições”, assinalou o ministro da Saúde que lidera em Mavalane as obras que ainda vão demorar entre 1 a 2 semanas.

Armindo Tiago apelou aos moçambicanos: “O medo não vai resolver o problema, o medo nos divide, esta é uma guerra onde temos um único inimigo que é o coronavírus. Essa guerra só poderá ser vencida se nós, em vez de procurarmos culpados e pessoas que não trabalham, começarmos a providenciar soluções”.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!