Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Correios de Moçambique introduz banco postal

A empresa Correios de Moçambique tem em vista a introdução, ainda este ano, de um banco postal mais virado para o mercado nas zonas rurais, que contribuirá para o desenvolvimento de uma melhor prestação de serviços financeiros naquelas parcelas do país.

José Luís Rego, Presidente do Conselho de Administração (PCA), revelou o facto na conferência de imprensa havida hoje em Maputo, destinada a anunciar a passagem do 30/o aniversário da criação da empresa, que se comemora na sexta-feira. A data será marcada pela realização de actividades de carácter social, com destaque para a atribuição de um enxoval ao primeiro bebé nascido nos hospitais Gerais de Mavalane e do Chamanculo.

A empresa foi criada em 1981, como Empresa Estatal, e em 1992 transformada em empresa pública, seguindo a tendência mundial da separação da actividade dos Correios e das Telecomunicações. “Planeamos criar um banco postal, para expandir o serviço financeiro formal que é actualmente muito limitado, sobretudo nas zonas rurais e nas populações urbanas de baixa renda”, disse Rego na conferência de imprensa dominada fundamentalmente por uma resenha das perspectivas e desafios para a revitalização da empresa. Rego disse acreditar na existência de espaço no mercado financeiro daí a aposta nesta meta que será complementada de muitas outras na lista dos anseios da empresa.

O PCA apontou, por outro lado, estar em perspectiva a criação de capacidade de distribuição para garantir a fiabilidade, sobretudo no segmento empresarial, e uma empresa de logística (distribuição) para facilitar o exercício de encaminhamento e distribuição de correspondências e objectos dos clientes. Na pauta de desafios que a empresa se propõe a realizar, Rego apontou, a título de exemplo, a necessidade de conquistar um número maior de clientes, através da criação de uma empresa de correio expresso com uma estrutura flexível; pequena em tamanho e grande em âmbito; focalizada ao cliente; capaz de concorrer com as pequenas empresas privadas do sector.

Os Correios, segundo Rego, pretendem realinhar a estrutura orgânica da empresa, aproximando a empresa mais ao cliente, para que tudo o que se faz seja para a conquista, satisfação e retenção de clientes, entre outros desafios. A empresa conta com 621 trabalhadores efectivos, dos quais 50 por cento estão em Maputo, e os restantes, distribuídos pelas restantes províncias do país. Cerca de 75 por cento do total dos trabalhadores tem idade acima de 50 anos. O nível de escolaridade é baixo; cerca de 76 por cento dos trabalhadores tem o nível básico – abaixo da sétima classe, e apenas 3 por cento tem o nível superior.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!