Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Comissão Parlamentar considera existirem “pistas bastante para se seguir o caso” Américo Sebastião

Apesar parcos esclarecimentos públicos de Nyusi esposa de Américo Salomão confiante que investigações vão avançar

Após ouvir os factos relatados pela esposa do empresário português que está desaparecido em Moçambique desde Julho de 2016 a Comissão de Petições, Queixas e Reclamações da Assembleia da República (AR) considera existirem “pistas bastante para se seguir o caso” e deverá convocar os ministros da Defesa, do Interior, dos Negócios Estrangeiros e também a Procuradora-Geral da República.

As incansáveis iniciativas que Maria de Salomé da Luz Pereira Sebastião tem efectuado em Moçambique sem sucesso para encontrar o seu marido, Américo Sebastião, podem ter encontrado algum alento na Comissão de Petições, Queixas e Reclamações do Parlamento onde foi ouvida no passado dia 22 de Abril.

“A peticionária disse que havia falta de vontade por parte das autoridades moçambicanas em resolver o caso, na medida em que há muitas diligências imediatas que deveriam ter sido feitas e não foram, pois um dos telemóveis do seu esposo encontra-se activo e a ser usado por um desconhecido e ninguém faz nada para apurar os factos sobre o que se está a passar”, revelou o deputado Francisco Campira na apresentação do Relatório da 8ª Comissão à Plenária da IX do Parlamento nesta quarta-feira (22).

De acordo com Campira a esposa do empresário tomou conhecimento de que o telemóvel de Américo Sebastião estava activo “quando um dos seus filhos adicionou o número a um grupo de whatsapp e de imediato quando o tal indivíduo apercebeu-se de que o número havia sido aderido ao grupo de whatsapp retirou-se”.

Relativamente ao cartão bancário de Américo Sebastião que foi usado durante 30 dias após o seu desaparecimento em várias ATM´s da Cidade da Beira que possuem câmaras de vídeovigilância mas que o Serviço Nacional de Investigação Criminal alegou que as imagens não eram nítidas Maria de Salomé da Luz Pereira Sebastião informou aos deputados que a polícia portuguesa “conseguiu decifrar e vislumbrar as caras das pessoas que usaram o cartão de débito do seu esposo para levantarem o valor de 300 mil Meticais que estavam na sua conta bancária”.

Maria de Salomé desabafou com aos deputados da 8ª Comissão que “têm sofrido ameaças de morte e extorsão por parte de indivíduos que dizem conhecer o cativeiro onde se encontra o senhor Sebastião e exigem somas monetárias avultadas em troca de informação”.

Com estes factos a Comissão de Petições, Queixas e Reclamações da AR “constatou que há pistas bastante para se seguir o caso” e, para obter mais esclarecimentos, vai convocar para audição os ministros da Defesa, do Interior, dos Negócios Estrangeiros e também a Procuradora-Geral da República.

Américo António Melro Sebastião, na altura com 49 anos de idade, foi raptado a 29 de Julho de 2016 numa gasolineira, na localidade de Nhamapadza, no Distrito de Marínguè, Província de Sofala, por indivíduos alegadamente desconhecidos que trajavam farda das Forças de Defesa e Segurança de Moçambique.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!