Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Combate a Desinformacão exige envolvimento dos Líderes

A experiência adoptada pelas autoridades governamentais distritais de Monapo, em Nampula, para o tratamento dos poços de água com vista a eliminar o vibrião que provoca a cólera.

A experiência consistiu no envolvimento dos líderes comunitários no processo de distribuição às populações dos produtos, em particular o cloro, está a produzir resultados positivos, pois que não permi te qualquer espaço para desinformação por parte de mal intencionados, situações que já custaram a vida de alguns técnicos e a destruição de infra-estruturas sanitárias em alguns pontos do país.

Fernando Saide, administrador de Monapo, precisou que a experiência do seu distrito realizada há cerca de dois anos teve resultados extraordinários, pois que o processo de distribuição às comunidades das quantidades de cloro e de Certeza, que são alocadas pelo sector da saúde ao nível da província, é liderado pelos lideres comunitários, figuras da inteira confiança de quem os elegeu para tal posição.

Os técnicos de saúde e os agentes polivalentes, que integram as brigadas de sensibilização e educação para boas praticas de prevenção a doenças endémicas como a cólera e malária, além de HIV responsável pela contaminação do SIDA, têm a tarefa de explicar como o cloro e a Certeza devem ser usados no tratamento da água que consomem, sobretudo para confeccionar alimentos, por se tratar de matérias cuja abordagem carece de alguma capacitação.

Desde que o distrito apostou nos líderes comunitários para liderar o pr oc e s s o de di s t r i bui ç ã o à s comunidades dos produtos para o tratamento da água, deixamos de registar situações desagradáveis que se registaram há cerca de quatro anos, c a r a c t e r i z a da s p or a c t os de desinformação segundo a qual a cólera é uma doença que é introduzida nos poços em forma de pó para causar mortes na comunidade – afirmou Fernando Saide. Aquele dirigente defende que a experiência do seu distrito pode ser adoptada, sobretudo nos distritos onde a distribuição do cloro e da Certeza desencadeou actos de desinformação que custaram vidas humanas e destruição de infra-estruturas sanitárias em alguns postos do país.

Em Nampula a desinformação em torno da origem e forma de contágio da cólera tem impacto nos distritos costeiros, sobretudo naqueles onde os níveis de escolaridade das populações são considerados baixos. Há dias o governo de Monapo mobilizou os seus dirigentes ao nível da base, concretamente dos postos administrativos para proceder a entrega de quantidades significativas de produtos para o tratamento de água das fontes de abastecimento, incluindo preservativos para uso nos actos sexuais ocasionais, sobretudo pela população jovem.

Na ocasião Fernando Saide alertou para a necessidade dos produtos em alusão serem, efectivamente, canalizados aos destinatários, quebrando algumas práticas protagonizadas por alguns lideres das comunidades que colocavam aqueles bens no mercado em forma de mercadoria com a intenção de obter ganhos financeiros. O distrito de Monapo é um dos mais povoados e a sua localização no corredor de Nacala coloca as suas populações numa posição frágil ao contágio de doenças que levam à morte quando não são tratadas com a rapidez exigida, impondo-se por isso que, segundo o respectivo administrador, as acções de educação sejam complementadas pela distribuição contínua de preservativos.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!