Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

ADVERTISEMENT

Comando da Polícia esconde criminalidade em Maputo

Comando da Polícia esconde criminalidade em Maputo

O Comando da Polícia na Cidade de Maputo escondeu informação sobre a criminalidade durante os últimos 3 meses de 2018 influenciando uma redução de 4.500 nos crimes registados em Moçambique, ainda assim na capital aconteceram quase metade de todos actos criminais. Assinalável foi também o aumento de menores indiciados pelas autoridades com destaque para a Província de Gaza com 21,4 por cento.

O número de crimes registados em Moçambique reduziu de 21.176 para 16.653 porque a Cidade de Maputo, que tem a taxa mais alta de crimes, disponibilizou ao Instituto Nacional de Estatística (INE) apenas “informação referente aos primeiros 9 meses” de 2018.

Uma situação que não é nova em 2013, 2014 e 2015 o Comando da Polícia na Cidade de Maputo também não disponibilizou informação completa sobre a criminalidade originando uma redução. No entanto só em 9 meses ocorreram 8.968 crimes na capital moçambicana, quase a metade de todo o resto do país junto.

De acordo com as “Estatísticas de Crime e Justiça em 2018” compiladas pelo INE, 4.988 dos casos registados na Cidade de Maputo foram crimes contra a propriedade (roubos, assaltos à mão armada, furto qualificado, furto simples, furto doméstico, abuso de confiança, cheque sem cobertura, extorsão, fogo posto e outros crimes relacionados com a perda de posse de um bem e a constituição de novo proprietário desse mesmo bem), 3.392 crimes contra pessoas (homicídio voluntário, homicídio frustrado, ofensas corporais voluntárias simples, ofensas corporais voluntárias qualificadas, violações, estupro), e 136 foram crimes contra a ordem e tranquilidade pública.

Também alta é a criminalidade na Província de Maputo, 3.258 crimes foram registados em 2018, com maior incidência para 2.174 crimes contra a propriedade e 927 crimes contra pessoas.

De acordo com o documento publicado esta semana grande dos criminosos em Moçambique são do sexo masculino, 94,4 por cento no entanto as indiciadas do sexo feminino aumentaram de 3,4 por cento em 2017 para 5,6 por cento em 2018 sendo que a maioria dos crimes praticados por mulheres ocorreram na Cidade de Maputo.

Manica é a Província com menor criminalidade

As “Estatísticas de Crime e Justiça em 2018” revelam outros dados preocupantes que é o aumento de menores criminosos particularmente na Província de Gaza onde dos 632 indiciados 21,4 por cento tem menos de 18 anos de idade, na Província de Nampula 19,7 por cento dos 635 indiciados são menores e na Província de Tete 14,3 por cento dos 251 criminosos são crianças.

Os menores cometeram principalmente crimes contra a propriedade mas também existem muitas crianças indiciadas por crimes contra pessoas.

Manica é a Província com menor criminalidade, durante o ano passado a Polícia da República de Moçambique registou apenas 172 crimes, menos do que os 228 de 2017, sendo que 75 foram crimes contra a propriedade e 64 crimes contra pessoas.

A taxa de criminalidade também é baixa na Província de Tete onde foram registados 198 crimes em 2018, dos quais 88 foram contra a propriedade e 64 crimes contra pessoas.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: Content is protected !!