Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Cinco regiões remotas de Gaza terão energia eléctrica até 2013

As regiões remotas de Nalazi, Nhalane, Mapai, Dindiza e Machaila, no Norte da província de Gaza, deverão ter energia eléctrica, a partir do corrente ano de 2012, a ser fornecida pela empresa pública Electricidade de Moçambique (EDM), na sequência da implementação do seu projecto de electrificação rural do país, e, particularmente, daquela região do Sul de Moçambique.

O projecto será concretizado depois da conclusão de um estudo de impacto ambiental e social realizado pela empresa moçambicana Consultoria em Desenvolvimento Social, Lda. (SCDS), cujos resultados preliminares deverão ser divulgados ao público nos dias 19, 20 e 21 de Junho de 2012 nas sedes distritais de Chicualacuala, Mabalane e de Chókwè, regiões abrangidas pela linha de transporte de energia de 110 quilowatts.

Os comentários dos participantes daqueles encontros irão ser usados para a finalização do relatório do estudo para posterior aprovação e atribuição da licença ambiental pelo Ministério para a Coordenação da Acção Ambiental (MICOA), segundo apurou, esta segunda-feira, o Correio da manhã junto da EDM.

A construção desta linha eléctrica insere-se num vasto programa governamental no sentido de garantir que mais de 3,5 milhões de moçambicanos tenham acesso à energia até 2013, nos termos de um programa visando adicionar anualmente 90 mil novos consumidores à rede eléctrica nacional.

O plano deverá incrementar em 2%, para 20% até 2017, a taxa actual de electrificação de Moçambique e está avaliado em cerca de um bilião de dólares norte-americanos, segundo ainda a mesma fonte, assegurando que a sua elevação dos actuais 18% implicará a entrada em funcionamento de seis novos empreendimentos de produção de energia, nomeadamente, as barragens de Moamba, na província de Maputo, e de Cahora Bassa-Norte, Lupata e Mphanda Nkuwa, em Tete, e ainda centrais térmicas de Moatize e Benga, igualmente na província central de Tete.

Daqueles empreendimentos, apenas a nova barragem de HCB-Norte é que já tem um financiamento estimado em cerca de 403 milhões de dólares norte-americanos, num investimento suportado pelo Governo dos Estados Unidos da América (EUA).

Sobre as obras de construção da barragem de Mphanda Nkuwa, fonte documental do Ministério da Energia explica que o seu arranque apenas está dependente da “boa vontade da África do Sul”, uma vez que grande quantidade da sua energia irá ser vendida àquela maior potência económica da África Austral.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!