Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Cinco agentes da PRM detidos por extorsão

Pelo menos cinco agentes da Polícia moçambicana (PRM) foram detidos na semana passada devido a prática de crimes de extorsão. Falando na terça-feira, em Maputo, durante o habitual encontro semanal com a imprensa, o porta-voz do Comando-geral da PRM, Pedro Cossa, disse que dois dos agentes, de nome Lucas e José, foram detidos por terem aceite um suborno de sete mil meticais (cerca de 200 dólares) para facilitar a circulação de emigrantes ilegais no país.

Segundo Cossa, os dois agentes, com a patente de Guarda e Primeiro Cabo, foram pagos para facilitar a passagem de 16 emigrantes somalis na travessia do Rio Ligonha (que separa as províncias da Zambézia, no Centro, e Nampula, Norte). Na ocasião, eles pretendiam sair de Nampula para Zambézia. “Outros três indivíduos foram detidos na semana passada por prática do crime de extorsão a uma coluna de viajantes sulafricanos interceptada na Baixa da cidade de Maputo”, disse Cossa.

“Eles mandaram a coluna parar, inventaram uma desculpa para cobrar mil rands”, acrescentou Cossa, sublinhando que os agentes infractores foram depois identificados graças a denúncia imediata dos turistas. Assim, estes agentes da Polícia, que tinham uma simples patente de guardas, estão a enfrentar dois processos, sendo um criminal e o outro disciplinar. “A careira deles como polícias acabou”, sentenciou Cossa, reiterando que o Comando-geral da Polícia moçambicana não tolera a prática de suborno no seio da sua corporação, apelando, por isso a possível ocorrência de casos do género.

Estes são algumas das 814 pessoas detidas pela PRM durante a semana passada devido ao cometimento de diversos crimes, incluindo a de violação de fronteiras que foi responsável pela detenção de 687 delas. Outros dois detidos são um indivíduo que havia se evadido da Cadeia de Máxima Segurança (BO) e duas pessoas acusadas de furto de avultadas somas em dinheiro pertencente a um armazém onde trabalhavam.

Os trabalhadores do referido armazém, de nome Marin, são António e Sandra, que são acusado de furto de 560 mil meticais (cerca de 16 mil dólares americanos) e 25 mil rands. Em toda a semana passada, a PRM registou um total de 183 casos criminais, sendo 115 furtos e roubos, 59 homicídios e ofensas corporais, entre outros.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!