Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Cidadão de origem somali ligado ao tráfico humano

Um comerciante de origem somali, mas ostenando a nacionalidade britânica, está a ser investigado por suspeitas de eventuais ligações com o tráfico de pessoas, depois de ter sido detido, em Nampula, no norte do país, com perto de duzentos mil dólares americanos, em dinheiro, não declarados.

 

 

A cidade e provincia de Nampula, servem actualmente de trânsito de redes que fazem entrar no país milhares de imigrantes ilegais, tendo como destino preferencial a republica da África do Sul.

O porta-voz da Polícia da República de Moçambique, em Nampula, Inácio João Dina, conforma a detenção há dias de Mohamed Omar, um cidadão de origem somali e portador de passaporte britânico.

O episódiu deu-se no Aeroporto Internacional de Nampula, quando Omar, que se diz ser proprietário de vários estabelecimentos comerciais naquela cidade, pretendia seguir viagem para Nairobi, no Quênia.

Dissimulados na sua bagagem estavam pouco mais de cento e noventa mil dólares americanos, não declarados. O valor segundo declarações do visado, seguiu consigo de Angola, passando pelo aeroporto internacional de Maputo, em transito até Nampula.

Com efeito nos últimos tempos tem-se multiplicado a entrada no país de imigrantes ilegais, atingindo por vezes as várias centenas no espaço de apenas uma semana.

Contam-se também às dezenas naufrágios de embarcações e viaturas, interceptadas no norte do país, ao serviço de redes de tráfico de pessoas, sobretudo cidadãos oriundos da Somália. O destino preferencial é, na maior parte dos casos, a África do Sul, onde serão usados como mão de obra barata.

Em tudo isto, a província de Nampula, é um ponto de passagem obrigatório, neste negócio criminoso descrito como altamente lucrativo e ao qual a polícia suspeita possa estar ligado o homem de negócios somali ora detido.

Há dias onze cidadãos somalis morreram afogados, depois de serem abandonados junto à costa.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!