Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Cidadão morre atropelado na Avenida de Moçambique em Maputo

Cidadão morre atropelado na Avenida de Moçambique em Maputo

Um cidadão com mais de 40 anos de idade, cuja identidade não apurámos, morreu atropelado por uma viatura ligeira, com a matrícula ABU 393 MC, conduzida por uma jovem, na noite de sexta-feira (21), na Avenida de Moçambique (EN1), na cidade Maputo.

O acidente aconteceu por volta das 21h00, na paragem da “carcaça”, onde tem sido frequente este tipo de desgraça, principalmente nas manhãs. Segundo testemunhas oculares, a vítima, que estava sob o efeito de álcool, tentou atravessar a via, a cambalear, ido de algures do lado Este (nascente), escapou por um triz quando se posicionou, inadvertidamente, no meio da faixa de rodagem, no sentido Sul/Norte.

“Ele (o malogrado) parou no meio da estrada. Algumas pessoas pensavam que ele estivesse maluco. De repente, um carro travou bruscamente e se isso não tivesse acontecido ele teria sido esmagado”, narrou uma cidadã que presenciou o acidente.

Contudo, quando tentava transpor o passeio central da via, para atravessar a segunda faixa de rodagem, já no sentido Norte/Sul, o finado não escapou da morte. Foi atropelado e caiu de vez no local onde se encontrava. Em consequência da queda, ele rachou a nuca e perdeu bastante sangue.

O cadáver permaneceu mais de uma hora estatelado, com a cabeça (a sangrar) e uma parte do tronco assentes no passeio central e os membros inferiores e superiores na faixa de rodagem Norte/Sul. Em pouco tempo o local ficou abarrotado mirones, alguns dos quais procuravam acalmar a jovem automobilista que em virtude não ter conseguido evitar a tragédia estava assustada e trémula. A Polícia, como sempre, chegou tarde ao local.

Os lugares da tragédia

Ao longo da Avenida de Moçambique (EN1), as paragens de OpWay (vulgo paragem da ópica), de Bagamoyo, de “carcaça” e dos “coqueiros”, são conhecidos como verdadeiros lugares de atropelamentos e mortes. Em cada um desses lugares, por semana, sem nenhum exagero, é reportado pelo menos um atropelamento.

Próximo da paragens de OpWay, no cruzamento da Rua Casimiro Mathe e Avenida de Moçambique (bairro 25 de Junho), a 17 de Março deste ano, sete pessoas morreram e mais de uma dezena ficaram feridas, entre graves e ligeiros, em resultado de um acidente de viação.

Por volta das 05h:30 do dia 25 do mesmo mês, mais de cinco pessoas morreram também na zona do Zimpeto, em resultado da colisão frontal entre dois “chapas” com as matrículas AAC 419 MP e ABY 289 MP.

Nas manhãs, no período das 6:00 às 08 horas, a partir do bairro George Dimitrov (Benfica) até Inhagoia, há condicionamento da circulação de veículos na EN1 devido ao congestionamento que diariamente se regista na via. As três faixas de rodagem, no sentido Norte/Sul, só servem para escoar o trânsito em direcção ao centro da capital moçambicana. Os atropelamentos são constantes.

Por um lado, porque alguns automobilistas, como sempre, não respeitam os transeuntes e, para além de conduzirem a uma velocidade excessiva, fazem ultrapassagens irregulares, principalmente os operadores de transporte público de passageiros, vulgo “chapa 100”. Por outro, porque há peões que não prestam atenção aos carros antes de atravessarem a via.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!