Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

https://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.html
Publicidade

Chuva no Centro de Moçambique mata dois menores na Beira e seis adultos em Sussundenga; previsão de mais chuva intensa

Chuva no Centro de Moçambique mata dois menores na Beira e seis adultos em Sussundenga; previsão de mais chuva intensa

Foto de Cidadão RepórterDois dias de chuvas muito fortes, mais de 200 milímetros em 24 horas, deixaram a cidade da Beira, a capital de Sofala, submersa. “O sistema de escoamento das águas funciona perfeitamente”, garantiu o edil Daviz Simango lamentando no entanto a morte de dois menores por afogamento. Entretanto as chuvas que caem em toda Região Centro de Moçambique causaram também a morte de outras seis pessoas no distrito de Sussundenga, na província de Manica, que estavam numa viatura que foi arrastada quando tentava cruzar um rio. Para esta quarta-feira(01) o Instituto Nacional de Meteorologia prevê a continuação das chuvas e ventos fortes nas províncias de Inhambane, Manica, Sofala, Tete, Zambézia e Niassa.

Entre às 8 horas de domingo(26) e às 8 horas de segunda-feira(27) caíram na cidade da Beira 223,8 milímetros de chuva. Nas 24 horas seguintes registaram-se mais 203,5 milímetros de precipitação. “Os postos administrativos da Munhava, Manga Loforte e Inhamizua são os mais afectados pelas inundações com destaque para os bairros de Lumba, Mungassa e Alto da Manga”, revelou o presidente do município, Daviz Simango, em conferência de imprensa nesta terça-feira(28).

Foto de Cidadão RepórterApesar das inundações registadas o edil assegurou que o sistema de drenagem recentemente reabilitado, com fundos da Cooperação para o Desenvolvimento entre Moçambique e Alemanha, está a funcionar sem problemas. “Ontem(segunda-feira) tive oportunidade de visitar vários bairros, as águas estavam na altura da cintura e até as 10 – 11h muitos bairros estavam secos, significa que o sistema de escoamento das águas funciona perfeitamente e com muita satisfação anunciamos isso”.

De acordo com Daviz Simango tem de ser feita gestão da abertura do sistema de escoamento pois a cidade da Beira, “devido a sua complexidade geográfica e geológica somos obrigados a trabalhar em função do comportamento da maré”. “Estamos com marés de pico, esta manhã(terça-feira) tínhamos às 5h33 a altura de 6,99 metros e só as 6h é que conseguimos abrir as nossas comportas e esperamos que se mantenham abertas até as 14h. Voltaremos a abrir ainda no dia de hoje as 20h até as 4h da manhã do dia seguinte, pois amanhã as 6h08 teremos o pico mais alto que é de 7,09 metros” explicou o edil apelando a compreensão dos munícipes porque “temos de coabitar com as ondas do mar”.

Simango enfatizou que “o sistema de comportas quer o desaguador nas Palmeiras, quer no Chiveve no cais Manarte estão a funcionar muito, muito bem por isso ao longo do dia de ontem(segunda-feira) muita água havia sido evacuada e com as ondas completamente secas, mas porque a chuva voltou muito forte, e os nossos solos não são permeáveis e dependemos naturalmente das marés, a situação voltou a acontecer”.

Foto de Cidadão Repórter“O mesmo diria com as nossas estradas, que algumas estão inundadas mas seguramente até as 12h muitas delas irão estar secas devido a maré que está a baixar o que vai permitir que as descargas nas valas possa acontecer”.

Para além dos danos materiais, que ainda estão a ser quantificados, o edil lamentou a morte de duas crianças, ao que tudo indica por afogamento. “(…)Temos a registar neste momento um óbito no dia de ontem(segunda-feira 27) de uma menor de 4 anos, de sexo feminino e de nome Cristina Abílio, residente em Mungassa”. “Também esta manhã temos o registo, no bairro do Vaz, de um óbito de um recém nascida de nome Alexandre João Fernando, de 7 meses de idade, na Unidade A, quarteirão 6”, declarou o presidente do município da Beira.

Seis óbitos no distrito de Sussundenga

Entretanto as chuvas intensas registaram-se em toda a Região Centro, assim como no Zimbabwe, o que originou a subida dos níveis das bacias do Save na Vila Franca do save e Búzi em Dombe que, segundo o Boletim Hidrológico Nacional, atingiram e superaram o nível de alerta.

A bacia do Búzi, que nesta segunda-feira superava o nível de alerta em quase 2 metros, nesta terça-feira já nem foi possível medir o seu nível pois a escala de 9 metros estava submersa pelos 288,4 milímetros de chuva que caíram nas últimas 24 horas.

Um viatura pertencente a Reserva Nacional de Chimanimani, no distrito de Sussundenga, na província de Manica, que tentou atravessar um drift sobre o rio Mussapa, situado nesta bacia do Búzi, transportando 21 passageiros acabou por ser arrastada pelas águas que transbordaram.

Em comunicado de imprensa o Governo da província de Manica confirmou o acidente e revelou que apenas “16 pessoas foram resgatadas, sendo onze com vida e seis mortos. As restantes quatro pessoas estão desaparecidas. A viatura em que se faziam transportar também está desaparecida”.

Previsão de mais chuva e inundações na Região Centro

Para esta quarta-feira(01) o Instituto Nacional de Meteorologia prevê a continuação das chuvas fortes (mais de 50 milímetros de precipitação em 24 horas), podendo ocorrer em regime muito forte (mais de 75 milímetros em 24 horas), acompanhadas de trovoadas severas e ventos com rajadas até 60 km/h, nas províncias de Inhambane, Manica, Sofala, Tete, Zambézia e Niassa o que levará os níveis das bacias do Save em Massangena e Búzi em Goonda a continuarem a aumentar.

O Boletim Hidrológico prevê ainda o incremento do volume de escoamento, devido ao escoamento gerado por chuvas na República da África do Sul, na bacia do Limpopo.

“Face a este cenário, a estação de Pafuri poderá superar o alerta. As estações de Combomune e Chokwè, poderão incrementar o nível, mantendo-se acima do alerta. Como consequências, a transitabilidade entre as estradas Chissano – Chibuto, Caniçado – Tomanine, Chilembene – Maniquinique poderá ser condicionada. Igualmente, prevê-se inundações isoladas nas áreas agrícolas e aldeias ribeirinhas”, indica o documento diário da Direcção Nacional de Gestão de Recursos Hídricos.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!