Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Inundações causam mais de três dezenas de óbitos na África do Sul

A chuva intensa que caiu no norte e leste da África do Sul, há duas semanas, fez 32 mortos, dos quais 25 por afogamento, seis por relâmpagos, uma por desmoronamento de um muro, para além de três pessoas desaparecidas e vários danos avultados, tais como estradas e drenos de água destruídos.

Um comunicado de Imprensa emitido pelo Governo de Pretória, na segunda-feira, indica que milhares de pessoas se deslocaram para as províncias de Limpopo (norte) e de Mpumalanga (nordeste) devido às inundações. Todavia, a situação voltou à normalidade com o abrandamento da chuva.

Vários bairros ficaram inundados e pontes destruídas um pouco por toda a parte do norte do país, o que dificultou a circulação de pessoas e bens. Na província do Limpopo, 1.300 pessoas foram socorridas e transferidas para as zonas altas devido a fortes chuvas.

O porta-voz do Limpopo, Phuti Seloba, aconselhou, no último domingo, a população a não usar qualquer estrada que vai dar a zona de Lephalale e a nacional R101, desde a região de Bela-Bela a Mookgopong em virtude da destruição da barragem do rio Limpopo por causa da forte pressão da água da chuva que caiu na última quinta-feira.

O governador de Limpopo, Stan Mathabatha, o director provincial da Saúde, Dipuo Letsatsi-Duba, o director provincial para a Área dos Transportes, Lehlohonolo Masoga, e o director provincial das Obras Públicas, Dickson Masemola, visitaram a região de Lephalale, na última quinta-feira, para se inteirarem da situação que se vive naquele ponto.

As fortes chuvas atingiram, também, a empresa pública de electricidade Eskom. Algumas centrais ficaram disfuncionais, o que forçou a companhia a interromper o fornecimento de energia em todo o país, na primeira semana de Março em curso.

A cônsul de Moçambique na cidade de Nelspruit, na província de Mpumalanga, Ester Tondo, assegurou ao @Verdade que não há vítimas mortais ou deslocados junto da vasta comunidade moçambicana que reside naquele ponto da África do Sul.

A capital política da África do Sul, a cidade de Tshwane (mais conhecida por Pretória), registou danos de cerca de 124 milhões de rands devido a fortes chuvas das duas últimas semanas. “Estes valores serão actualizados à medida que uma inspecção de avaliação dos danos estiver a trabalhar”, disse Blessing Manale, porta-voz da província de Gauteng, em comunicado de Imprensa.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!