Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Cesária Évora homenageada com mega concerto no 1º aniversário da sua morte

O Vale da Ribeira da Torre, no município da Ribeira Grande, na ilha cabo-verdiana de Santo Antão, vai ser palco, na noite deste sábado, de um mega concerto de homenagem à cantora cabo-verdiana Cesária Évora, por ocasião do primeiro aniversário da morte da mais famosa intérprete da música tradicional do arquipélago.

O espetáculo, um sonho que Cesária Évora pretendia realizar quando fez 70 anos a 27 de agosto de 2011, mas que foi incapaz de concretizar devido ao agravamento do seu estado de saúde na altura, conta com a participação de vários artistas nacionais e internacionais de renome.

Nascida no Mindelo a 27 de agosto de 1941, Cesária Évora morreu a 17 de dezembro de 2011, após um acidente vascular cerebral. Entre os artistas que participam no concerto, que junta 25 músicos que tocaram com a “Diva dos pés descalços” em diferentes momentos da sua carreira figuram Ismael Lo (Senegal), Sai Tolno (Guiné), Bernard Lavilliers (França), Camané (Portugal) e Bonga (Angola).

Ao longo da noite irão desfilar pelo palco alguns dos nomes mais sonantes da música cabo-verdiana da atualidade como o cantor Mário Lúcio, atualmente ministro da Cultura, Sara Tavares, Nancy Vieira, Teófilo Chantre, Lura, Zeca di Nha Reinalda, Tito Paris, Gabriela Mendes, Mirri Lobo, Jacqueline Fortes e o grupo santantonense Cordas do Sol.

O concerto no Vale Ribeira da Torre, terra natal da mãe de Cesária Évora, vai ter entrada gratuita, tal como era desejo da cantora, e encerra um ciclo de concertos de homenagem à “diva dos pés descalços” depois de iniciativas similares realizadas em Paris e Toulouse (França), em Serpa (Portugal) e Amesterdão (Holanda).

Esta homenagem à Cesária Évora acontece na semana em que o Governo de Cabo Verde aprovou, em Conselho de Ministros, uma resolução que classifica a “morna”, género musical levado aos palcos internacionais pela falecida cantora, como Património Histórico e Cultural Nacional.

Trata-se, segundo o Executivo cabo-verdiano, do primeiro passo para tornar o principal género musical cabo-verdiano como Património Imaterial da Humanidade.

Para o efeito, o Ministério da Cultura de Cabo Verde está a ultimar uma Comissão Nacional para preparar o dossiê e atuar junto da UNESCO para que a “morna”, tendo em conta o ponto de vista “histórico e cultural” deste género musical na vida dos cabo-verdianos, venha a ganhar estatuto mundial.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!