Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

https://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.html
ADVERTISEMENT

Centenas de cidadãos caminharam “pela Humanidade” na Cidade de Maputo

????????????????????????????????????

A Associação Amizade e Solidariedade com o Povo da Palestina (ASP) realizou, domingo, 23 de Maio, em Maputo, uma caminhada, individual, em nome da paz e que chegou a juntar cerca de 500 pessoas, sob o lema “Caminhada pela Humanidade” com o objectivo de denunciar os promotores da guerra e do terrorismo, na província de Cabo Delgado, em Moçambique, e na Palestina.

O evento contou com a participação de pessoas de todos estratos sociais, idade e género. A caminhada visava igualmente promover a defesa dos princípios e valores da humanidade e manifestar a solidariedade para os povos irmãos que são vítimas da maior barbaridade e actos de puro terrorismo contra vidas humanas.

Na ocasião, Abdul Carimo Issa, representante da ASP e porta-voz desta iniciativa, disse que Moçambique “entrou na lista de países vítimas de terrorismo e que tem na barbárie o seu modo de vida, onde se assiste a uma verdadeira tragédia humanitária com milhares de compatriotas deslocados e em situação de carência dos bens mais essenciais para a sua subsistência”, pedindo uma reflexão global aos mentores de tais actos.

“Nós hoje queremos também expressar a nossa solidariedade para com o povo da Palestina que, ao longo dos últimos 40 anos, tem sido vítima de terrorismo. Quer em Moçambique, quer na Palestina, o que assistimos é puro terrorismo. Trata-se de um problema de direitos humanos. Enquanto no nosso País a barbárie tem como protagonistas nossos concidadãos e pessoas estrangeiras, na Palestina estamos perante um terrorismo de Estado, protagonizado por um Governo racista, de ocupação, de usurpação. Um regime de apartheid”, afirmou.

O representante da ASP e porta-voz desta iniciativa acrescentou que “não se trata de um conflito religioso, em Moçambique, nem de um conflito entre árabes e judeus ou entre muçulmanos. Por isso, viemos dizer à Cabo Delgado e à Palestina que estamos juntos. Estamos solidários com todas as vítimas do terrorismo em todo o mundo”, referiu Abdul Carimo Issa, lamentando a cumplicidade de países ocidentais que com muita facilidade “apontam o dedo ao país nos casos de violação dos direitos humanos, mas fecham os olhos à violação dos direitos humanos na Palestina”.

Por sua vez, o embaixador da Palestina, Fayez Abdul Jawad, disse que o povo palestino está solidário com o povo de Moçambique no geral e em especial de Cabo Delgado, pela heroicidade no combate contra o terrorismo que assola aquela parcela do País, apelando à comunidade internacional que continue a apoiar os povos oprimidos.

“Permitam-me, caros irmãos, agradecer e apreciar a liderança e o povo da República de Moçambique pelas firmes posições de princípio em apoio ao nosso povo e à sua justa causa, que é o combate ao terrorismo”, concluiu o embaixador da Palestina.

Importa referir que participaram na caminhada pela humanidade representantes de várias organizações e de movimentos humanitários, nomeadamente da Organização Feminina Islâmica (OFI), Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade (FDC), a Voz do Islam, Associação dos Camionistas de Moçambique (ACM), Sautul Islam, Associação Moçambicana de Empresas e Empreendedores Moçambicanos (AMEEN), Associação Muçulmana e Conselho Islâmico de Moçambique (CISLAMO).

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: Content is protected !!