Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Bom senso precisa-se

365 dias + 6 horas = Idade d@ VERDADE

Ainda a procissão (leia-se campanha eleitoral) nem sequer abandonou o adro da igreja e o chorrilho de disparates não pára.

Diz-se tudo da boca para fora sem se pensar um segundo sequer. As cabeças não controlam os movimentos dos maxilares, não há tento na língua. Parece que quem diz mais disparates é que leva a taça. A preocupação, em vez de ser esclarecer o povo, anunciar os programas partidários, debater ideias que correspondam aos anseios e desejos da população e que esta quer ver certamente trazidas à baila, é ferir o mais possível o adversário, golpeá-lo, desarmá-lo com golpes baixos, mesmo que se passe por desbocado, insensato e até tonto, não importa.

O que é preciso é fazer uma bela parangona no dia seguinte no jornal. E estes vão esfregando as mãos, porque sempre anima e sempre vende, mesmo que isso seja a expensas da irracionalidade, da boutade, do diz que diz que carece de total confirmação. Inventam-se números, atiram-se sondagens que ninguém nunca ouviu falar, anuncia-se a morte de outros partidos com um desplante inaudito, garante- se que o rival não terá mais de 3% dos votos, etc, etc.

Há uma constante preocupação de olhar para o lado para ver o que outro está a fazer em vez de se olhar para o que se está a fazer, fazendo lembrar aquele atleta que comandava a corrida e que, obcecado com o desempenho dos adversários, olhou tanto para trás que acabou por ser ultrapassado por eles. Que uns não encham o ego a enumerar tudo o que fizeram mas preocupem-se, sim, com o que não fizeram e deviam ter feito ou no que está por fazer. Que outros dêem ainda mais o litro, porque têm de correr atrás do prejuízo, em prol dos verdadeiros interesses do país, porque a avaliar pelo que se diz e, mais ainda pelo que se irá dizer até 26 de Outubro, último dia da campanha eleitoral, a vontade de votar, falo por mim, não será muita.

Curioso ainda foi o facto de esta semana o Conselho Constitucional ter rejeitado sete candidaturas ao mais alto cargo da nação por irregularidades diversas e alguns deles ainda deverão enfrentar, imagine-se, processos-crime. Quem tenta enganar assim as sumidades do Conselho Constitucional seguramente que não se ensaiaria nada em enganar também o povo.

E assim lá voaram os 150 mil dólares que o Estado destina a cada candidato. Restam-nos três. Será que candeia que vai à frente alumia duas vezes? Ou no meio estará a virtude? Ou ainda os últimos são os primeiros? Haja bom senso.

PS1: O prometido é devido: desde a passada sexta- feira que @ VERDADE já está disponível em todo o país. Com a chegada a Lichinga, e antes de completarmos o primeiro aniversário, estamos finalmente em todas as províncias do território nacional e com números – falamos claro de exemplares – inéditos no país. Um agradecimento especial ao Sérgio Labistour e a toda a sua equipa pelo esforço hercúleo. Não foi fácil.

PS2: Nos próximos dias haverá mais surpresas para os nossos leitores. O ventre d@ VERDADE irá gerar um filho. Trata-se do CAMPUS um suplemento destinado sobretudo, mas não só, aos estudantes universitários de Moçambique.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!