Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Bolt faz história em Berlim com vitória e recorde mundial nos 200m

O fenômeno Usain Bolt em números

Com um tempo de 19.19, o jamaicano Usain Bolt ganhou a medalha de ouro nos 200 metros e estabeleceu o novo recorde mundial esta quinta-feira no Mundial de Atletismo em Berlim, confirmando seu nome entre os maiores fenômenos da história do desporto.

Bolt, que continua sem adversário, superou o panamiano Alsonso Edward (19.81) e o norte-americano Wallace Spearmon (19.85), com um vento quase nulo (-0,3 m/s).

Esta quinta-feira, na véspera de completar 23 anos, o jamaicano melhorou em 11 centésimos o recorde mundial de 19.30 que ele mesmo tinha cravado nos Jogos Olímpicos de Pequim-2008, há exatamente um ano, em 20 de agosto de 2008. O norte-americano Tyson Gay, campeão dos 200m, não competiu, para não correr o risco de agravar uma lesão nos adutores.

“Fiquei surpreso quando vi o cronômetro. Dei tudo o que tinha, estou feliz, estou me tornando uma lenda”, avaliou Bolt, pouco depois de correr os 200m. “Não tinha uma meta específica, tentei apenas fazer o melhor. Não sei até onde posso chegar, mas como costumo dizer, tudo é possível para quem se dedica plenamente a algo”, afirmou. “Esta corrida foi mais difícil que a de Pequim. Estava cansado, e não pude atacar. Agora tenho a final do 4×100 m”, acrescentou “o raio”.

O jamaicano ainda falou dos rumores que acompanham sua extraordinária ascensão no mundo do atletismo. “Sou submetido a controles antidoping antes e depois das corridas. Sei que sempre haverá rumores, mas também sei que sou veloz, e o quanto trabalho para isso. Não me sinto obrigado a convencer as pessoas. Tudo o que posso fazer é repetir que sou limpo e que trabalho muito para fazer o que faço”.

No domingo passado, Bolt faturou o ouro nos 100m e estabeleceu um novo recorde mundial, com incríveis 9.58. Nos Jogos de Pequim, o jamaicano correu a distância em 9.69. Depois dos 100m em Berlim, Bolt havia declarado: “Duvido que consiga estabelecer um novo recorde mundial. Vai ser difícil”. Nos Jogos de Pequim, Bolt entrou para a história ao conquistar o ouro nos 100m, nos 200m e na estafeta 4x100m, estabelecendo recordes mundiais em todas as disciplinas. Semanas antes, ele arrebatara seu primeiro recorde mundial ao correr os 100m em 9.72 em Nova York.

No Mundial de Osaka, em 2007, Gay venceu nos 100m, nos 200m e na estafeta 4×100 m. Bolt vai tentar igualar o norte-americano faturando também o 4x100m, que começa sexta-feira em Berlim.

Bolt admitiu que se está a tornar numa lenda.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!